Carregando...

Cruzeiro do Sul concentra mais da metade dos casos de dengue registrados no Acre em 2020

Cruzeiro do Sul concentra mais da metade dos casos de dengue registrados no Acre em 2020 — Foto: Secretaria Municipal de Saúde

Cruzeiro do Sul concentra mais da metade dos casos de dengue registrados no Acre em 2020 — Foto: Secretaria Municipal de Saúde

Mais da metade dos casos de dengue no Acre em 2020 foram registrados no município de Cruzeiro do Sul, no interior do estado. Os dados são do Núcleo de Doenças de Transmissão Vetorial da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) referentes ao período de 1 de janeiro a 19 de dezembro.

O levantamento aponta que, dos 5.429 casos confirmados da doença em todo estado, 2.719 foram em Cruzeiro do Sul. O número representa ainda um aumento de 2,4% em relação ao mesmo período em 2019, quando foram registrados 2.655 casos de dengue.

Com relação às notificações da doença também houve um aumento de 2,6%. Conforme os dados, entre janeiro e 19 de dezembro do ano passado foram contabilizados 6.186 casos notificados de dengue, sendo que no mesmo período em 2019 eram 6,030.

Mesmo sem ter os números atualizados nesta quarta-feira (6), o coordenador da Vigilância Entomológica de Cruzeiro do Sul, Leonísio Messias, afirmou que os casos apresentaram um aumento nos últimos dias de dezembro de 2020 e nos primeiros dias deste ano. Segundo ele, diante disso, as ações já estão sendo intensificadas.

“Nós estamos no período de sazonal, de muitas chuvas, e temos essa tendência de acrescimento [nos casos]. No entanto, nós estamos trabalhando para que isso não aconteça. Fazemos todas as ações que são preconizadas pelo plano nacional, que é a vigilância, os agentes trabalhando em campo e visitando as residências. No caso da dengue, eliminando pequenos criadouros para não nascer o mosquito, e aqueles criadouros que não podem ser eliminados, eles são tratados para matar a larva”, afirmou.

Com relação ao atendimento de saúde, o coordenador afirmou que todas as unidades básicas estão preparadas para atender os pacientes que procurem com sintomas de dengue. Segundo ele, a cidade não tem uma unidade de referência para esses atendimentos.

Casos de malária

Além da dengue, a cidade de Cruzeiro do Sul anualmente registra os maiores números de casos de malária do estado e em 2020 não foi diferente. Segundo os dados, a cidade registrou 6.991 casos da doença entre janeiro e dezembro de 2020. O número ainda deve ser maior, uma vez que os dados do ano passado ainda estão sendo inseridos no sistema.

O levantamento mostrou ainda que os casos de malária foram 15% maiores que em 2019, quando foram registradas 6.080 pessoas com a doença. A incidência da doença é de 86,4 para cada mil habitantes.

No caso das internações, os dados apontam que houve uma redução entre os anos de 2019 e 2020. No ano passado, 49 pessoas com malária foram internadas, sendo que em 2019 foram 52.

“No caso da malária, os agentes fazem as visitas às residências, dão as orientações e fazem o monitoramento. Em caso de sintoma, é feita a coleta e levado para diagnóstico e, se positivo, o agente retorna com tratamento para o paciente. Daí, é feito o acompanhamento semanal para saber se o paciente teve cura”, disse o coordenador da vigilância.

As cidades de Mâncio Lima e Rodrigues Alves também concentram os maiores números do estado de malária. De acordo com os dados, do total de 11.500 mil casos de malária em 2020 no Acre, 1.768 foram registrados em Rodrigues Alves e 1.748 em Mâncio Lima.

Diferente de Cruzeiro do Sul, essas duas cidades da região do Vale do Juruá tiveram uma redução significativa nos casos de malária no ano passado. Em 2019, Mâncio Lima tinha registrado 3.374 casos da doença, enquanto que Rodrigues Alves tinha 2.304.

Conforme a Sesacre, em 2020 foram realizados cerca de 124.105 exames para detecção da malária, sendo que 90% dos exames foram feitos na região do Vale do Juruá.

Covid-19 já matou 73 pessoas em Cruzeiro do Sul — Foto: Júnior Aguiar / Secom

Covid-19 já matou 73 pessoas em Cruzeiro do Sul — Foto: Júnior Aguiar / Secom

Pandemia da Covid-19

A dengue e a malária são doenças que anualmente acometem milhares de pessoas em todo o Acre. Mas, desde março do ano passado, um outro inimigo entrou em cena: a Covid-19. E, por apresentarem sintomas muitas vezes semelhantes, como febre, dor de cabeça, falta de apetite e dores pelo corpo, a situação é ainda mais preocupante e as pessoas precisam ficar atentas.

Dados do último boletim da Sesacre, divulgado nessa terça-feira (5), mostram que Cruzeiro do Sul registra 4.127 casos confirmados de Covid-19. O número é o segundo maior do estado, já que a capital concentra 19.404 dos infectados. Do total de 808 mortes pela doença no Acre, 73 foram em Cruzeiro do Sul.

A incidência da Covid-19 em Cruzeiro do Sul é de 466,9 para cada 10 mil habitantes. Os municípios de Assis Brasil e Xapuri apresentam as maiores incidências do estado com 1027,3 e 934,1 a cada 10 mil habitantes, respectivamente.

“Como os sintomas dessas três doenças são bem parecidos, a gente pede muito à população que não deixem de buscar atendimento médico ao primeiro sinal de sintoma. Esse atendimento é fundamental, até para a gente fazer nossas ações e para diferenciar cada um deles”, concluiu o coordenador Messias.

VÍDEOS: G1 em 1 Minuto

36 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar