Carregando...

Acusado de matar irmãos e atirar em grávida passa por júri popular em Rio Branco

Os irmãos Keliton e Elias dos Santos foram mortos em dezembro de 2019 em Rio Branco — Foto: Divulgação/Iapen-AC

Os irmãos Keliton e Elias dos Santos foram mortos em dezembro de 2019 em Rio Branco — Foto: Divulgação/Iapen-AC

O suspeito de matar os irmãos Keliton e Elias dos Santos, de 19 e 24 anos, em dezembro de 2019, senta no bando dos réus nesta terça-feira (8). O júri popular de Wesley Firmo Barreto ocorre na 1ª Vara do Tribunal do Júri, em Rio Branco.

O réu foi denunciado pelos crimes de duplo homicídio, tentativa de homicídio contra uma grávida, por tentativa de aborto e por integrar organização criminosa. Ao G1, os advogados do réu, Alciele Souza e Claudemar Fernandes Saraiva afirmaram que a tese da defesa é de negativa de autoria por falta de provas.

Conforme a Justiça, ao todo, seis testemunhas devem ser ouvidas, sendo três de acusação e três de defesa. Além da vítima da tentativa de homicídio e do réu. O julgamento começou às 8h30 desta terça.

Os irmãos Elias dos Santos e Keliton dos Santos, que eram monitorados por tornozeleira eletrônica, foram mortos no dia 30 de dezembro de 2019 dentro de casa no bairro Boa Vista, em Rio Branco. A polícia informou na época que três pessoas armadas entraram na casa e mataram os dois.

A jovem Rayla da Silva Monteiro, com 19 anos na época, estava grávida de oito meses e também foi ferida e levada ao pronto-socorro da cidade. A equipe médica fez o parto dela e a polícia informou que ela e o bebê passavam bem.

Na decisão de pronúncia, a juíza informou que o réu praticou o duplo homicídio por ordem de uma facção criminosa e que atuou com comparsas que não foram identificados.

Outros crimes

Barreto foi preso em fevereiro do ano passado no bairro Boa Vista. Além do duplo homicídio e da tentativa contra a grávida, o rapaz é investigado também pela morte de Ediberto de Melo Souza, de 38 anos, no mesmo dia do homicídio dos irmãos, e de Gilson Vieira de Souza Júnior, de 22 anos.

Gilson Júnior foi achado morto com as mãos e os pés amarrados em uma rua do bairro Sobral, em fevereiro de 2019. O corpo foi jogado no meio da rua com cerca de 13 perfurações nas costas.

Reveja os telejornais do Acre

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*