Carregando...

Agropecuária cai 2,8% no 2º trimestre e é o setor com maior queda no PIB

Queda na produção de café impactou resultado da agropecuária no segundo trimestre. — Foto: Divulgação/AEN

Queda na produção de café impactou resultado da agropecuária no segundo trimestre. — Foto: Divulgação/AEN

A agropecuária recuou 2,8% no 2º trimestre de 2021, na comparação com os três primeiros meses do ano, a maior queda entre os setores e um dos destaques negativos no Produto Interno Bruto (PIB), que caiu 0,1%.

A indústria retraiu 0,2% e os serviços tiveram alta de 0,7%, mostram dados divulgados nesta quarta-feira (1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“A agropecuária ficou negativa porque a safra do café entrou no cálculo. Isso teve um peso importante no segundo trimestre. A safra do café está na bienalidade negativa, que resulta numa retração expressiva da produção”, explica a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

A queda na produção também foi influenciada pela forte seca nas principais regiões produtoras de café, como Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo. A falta de chuvas interferiu na floração das plantas e, posteriormente, no enchimento de grãos.

SAIBA MAIS:

  • PIB do Brasil recua 0,1% no 2º trimestre e recuperação perde fôlego
  • Recordes no agronegócio e aumento da fome no Brasil: como isso pode acontecer ao mesmo tempo?
  • Veja como as mudanças climáticas podem impactar a produção de alimentos no Brasil
  • Como a crise hídrica afetou a produção de alimentos

Apesar do resultado negativo frente aos primeiros meses do ano, o PIB da agropecuária cresceu 1,3% em relação a igual período de 2020.

Além disso, ao somar os resultados dos quatro últimos trimestres, o setor teve alta de 2% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

O avanço em relação ao ano passado foi puxada pelo desempenho positivo de alguns produtos das lavouras de soja (+9,8%) e arroz (+4,1%). Por outro lado, houve recuos nas estimativas de produção anual das culturas de café (-21,0%), algodão (-16,6%) e milho (-11,3%)

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e durante um certo período e serve como uma espécie de termômetro da evolução da atividade e da capacidade de uma economia gerar riqueza e renda.

PIB pela ótica dos setores da economia — Foto: Elcio Horiuchi e Guilherme Luiz Pinheiro/G1

PIB pela ótica dos setores da economia — Foto: Elcio Horiuchi e Guilherme Luiz Pinheiro/G1

Principais destaques do PIB no 2º trimestre:

  • Agropecuária: -2,8%
  • Indústria: -0,2%
  • Serviços: 0,7%
  • Consumo das famílias: zero
  • Consumo do governo: 0,7%
  • Investimento (FBCF): -3,6%
  • Importação: -0,6%
  • Exportação: 9,4%
  • Construção: 2,7%
  • Comércio: 0,5%


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*