Carregando...

Pastagem, uma lavoura sustentável!

 — Foto: Divulgação: AgroCP

— Foto: Divulgação: AgroCP

Na história da agropecuária brasileira, os bovinos eram os desbravadores das novas áreas, entrando logo após o fogo, nas fases iniciais de substituição das densas florestas por cultivo para consumo e exportação. Apenas no começo do século passado, foi adotada a prática do estabelecimento de pastagens.

O uso dos capins rústicos aliados às condições climáticas favoráveis e à qualidade do solo de áreas recém desmatadas, criou uma falsa ilusão de que a pastagem não necessitava dos cuidados semelhantes às lavouras de grãos. O manejo de solo, com relação à correção da acidez e da fertilidade, e a adoção de práticas de conservação inexistiam naquela época.

 — Foto: Divulgação: AgroCP

— Foto: Divulgação: AgroCP

Em virtude desse jeito de “tocar” a fazenda, hoje, temos, no Brasil 60% ou mais de áreas de pastagem degradadas, em maior ou menor escala. Como piores sequências, temos a perda do vigor e capacidade produtiva da pastagem; a presença de cupins e plantas invasoras; um solo descoberto; a erosão. São enormes os prejuízos econômicos e ambientais.

Sim, a pastagem precisa se tornar uma lavoura sustentável, e sua produção são quilos de carne, peso do bezerro ao desmame ou litros de leite por hectare. Se perguntarmos para qualquer agricultor quantos sacos de soja ou de milho ele produziu, a resposta estará na ponta da língua e ele, ainda mais, saberá responder o custo de um saco de grão produzido. A pecuária caminha a passos lentos nessa direção.

 — Foto: Divulgação: AgroCP

— Foto: Divulgação: AgroCP

A produtividade média da pecuária de corte brasileira, ao longo do ano, varia de 2 a 3 arrobas por hectare (ha)/ano, com uma taxa de lotação de 0,5 a 1,0 UA/ha (UA – Unidade Animal = 450 quilos de peso vivo). Em trabalhos da Embrapa Cerrados, em pastos bem manejados, obtivemos produtividades de [email protected] a [email protected]/ha/ ano, com taxas de lotação média de 3 UA/ha. Ou seja, o pecuarista brasileiro usa dois ha ou mais para produzir um único boi, quando, com a adoção de tecnologias, poderia criar até três bois em apenas um há.

É preciso entender que as pastagens desempenham um papel fundamental na pecuária brasileira, garantindo custos de produção mais baixos do que os da criação em sistemas confinados e conferindo sustentabilidade ao setor. A implantação de um pasto que garanta elevadas produtividades deve considerar as seguintes soluções:

  • Correção da acidez e manejo da fertilidade do solo de acordo com as exigências das forrageiras e com os resultados da análise química do solo;
  • Escolha adequada da forrageira considerando a meta de produção estabelecida.

 — Foto: Divulgação: AgroCP

— Foto: Divulgação: AgroCP

A AgroCp, contribui grandemente para o avanço tecnológico e intensificação das pastagens brasileiras, seja na formação, recuperação e produção das pastagens. A linha CP MULT PASTAGENS tem em sua composição matéria prima de fontes renováveis como matéria orgânica de altíssima qualidade que contribuem de forma sustentável com a Agropecuária de baixo Carbono proporcionando através do maior vigor e fechamento de estande da forrageira uma redução na emissão de gases no efeito estufa, aumentando de forma quantitativa e qualitativa o incremento da produtividade das pastagens.

 — Foto: Divulgação: AgroCP

— Foto: Divulgação: AgroCP

CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO DE SUA CONFIANÇA!


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*