Carregando...

Com acúmulo de corpos, IML cobra vagas em cemitérios públicos de Maceió para sepultar indigentes

IML pede abertura de novas vagas em cemitérios públicos de Maceió para sepultar corpos de indigentes— Foto: Andréa Resende/G1

IML pede abertura de novas vagas em cemitérios públicos de Maceió para sepultar corpos de indigentes — Foto: Andréa Resende/G1

A Perícia Oficial de Alagoas solicitou abertura de ao menos 100 vagas nos cemitérios públicos de Maceió para sepultamento de corpos de indigentes. Em reunião realizada nesta quinta-feira (29), com o Ministério Público do Estado e a Secretária de Estado da Segurança Pública, o órgão apontou que é grande o acúmulo de cadáveres no IML.

De acordo com a Perícia, a dificuldade das vagas para sepultar pessoas quando não há o conhecimento da identidade ou que familiares não foram reclamar o corpo não é recente, vem se arrastando desde 2016 e se agravou nos últimos anos.

A Superintendência de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), que é responsável pelos cemitérios da capital, ressalta que não faltam vagas para os sepultamentos solicitados por familiares de falecidos, e que o problema específico do sepultamento de indigentes vai ser discutido com o MP-AL em reunião na próxima segunda (2) (veja a nota do órgão na íntegra ao final da matéria).

Na reunião com a Perícia Oficial, o procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, afirmou que irá se reunir com as promotorias que têm ligação com a questão em algum âmbito e iniciar diálogo com a Prefeitura de Maceió, para que as vagas sejam abertas.

Segundo o perito-geral Manoel Melo, já existe uma proposta que conta com local e estrutura definidos para a construção. “Nossa proposta passa pela construção de gavetas em alvenaria, com até três andares, na posição vertical, a princípio, no cemitério Divina Pastora, localizado na parte alta da cidade. Preparamos esse plano, apresentamos ao município e estamos aguardando uma resposta."

As vagas seriam para os corpos de Maceió e da Região Metropolitana, que têm ou não identificação, mas que não foram procurados pelas famílias.

Leia abaixo a nota da Sudes

A Superintendência de Desenvolvimento Sustentável informa que a solicitação recebida do Instituto Médico Legal se refere ao sepultamento de indigentes, ou seja, pessoas em que não há o conhecimento da identidade ou que familiares não tenham reconhecido, que, em sua maioria, são de outras cidades do estado.

A Superintendência esclarece que não há faltas de vagas ou atraso nos sepultamentos solicitados por familiares de falecidos em Maceió. Com isso, os sepultamentos acontecem no mesmo dia da solicitação do familiar.

Por fim, a Superintendência reforça que há uma reunião marcada para a próxima segunda-feira (2) com o Ministério Público Estadual para discutir a demanda, tendo em vista que cada Município é responsável pelo sepultamento de seus munícipes.

Assista aos vídeos mais recentes do G1 AL

200 vídeos

Veja mais notícias da região no G1 AL


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*