Carregando...

Quatro trabalhadores de usina que sofreram acidente de caminhão continuam internados no HGE

Acidente com caminhão que levava trabalhadores de usina em Alagoas deixa vítimas

Acidente com caminhão que levava trabalhadores de usina em Alagoas deixa vítimas

Quatro dos oito trabalhadores da Usina Santa Clotilde que ficaram feridos no tombamento do caminhão em que eram transportados continuam internados no Hospital Geral do Estado (HGE), segundo boletim médico divulgado na tarde desta quarta-feira (1). Os outros quatro funcionários já receberam alta.

O acidente aconteceu entre Jacuípe e Porto Calvo, no interior do estado, na última segunda-feira (30). Um funcionário identificado como Silvio José da Silva, de 41 anos, morreu na hora.

A Polícia Civil e o Ministério Público do Trabalho (MPT) investigam as causas e circunstâncias do acidente. A empresa nega que os funcionários estavam sendo transportados no caminhão que tombou, mas fotos e vídeos feitos no local mostram o veículo e as vítimas.

Continuam internadas as vítimas:

  • Pedro José da Silva, 38 anos - sofreu escoriações leves e trauma no pescoço
  • Fernando da Silva, 42 anos - sofreu trauma no braço direito e leves escoriações
  • Alailton Antônio Correia, 43 anos - sofreu escoriações no rosto, cotovelo, fratura de fêmur e corte profundo na orelha
  • Marcos José de Barros, 42 anos - sofreu fratura na perna direita, estável

Receberam alta hospitalar:

  • Paulo Luís da Silva, 44 anos - sofreu trauma no joelho direito
  • Erivaldo Alezir da Silva, 44 anos - sofreu trauma nos pés e no joelho direito
  • Lércio Pedro da Silva, 56 anos - sofreu um trauma no nariz
  • José Antônio da Silva, 51 anos - alta hospitalar no dia do acidente

Trabalhadores de usina vítimas de acidente são socorridos pelos bombeiros em Jacuípe, AL — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros de Alagoas

Trabalhadores de usina vítimas de acidente são socorridos pelos bombeiros em Jacuípe, AL — Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros de Alagoas

Veja mais notícias da região no G1 Alagoas


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*