Carregando...

Em ano de pandemia, produção de mandioca cresceu quase 4% no Amapá em 2020

Casa de farinha de família na Rodovia AP-040, no Amapá — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

Casa de farinha de família na Rodovia AP-040, no Amapá — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

O Amapá produziu em 2020 mais mandioca que em 2019. Foram cerca de 112 mil toneladas de raiz de mandioca, 3,81% do que foi registrado no ano anterior (108 mil toneladas). Por outro lado, a soja não terminou o ano como planejado. Um dos motivos pode ter sido uma praga que afetou o plantio, além da grande quantidade de chuva.

Os dados sobre as produções dos principais produtos agrícolas do Amapá integram um balanço do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mandioca

Cerca de 80% da mandioca colhida em 2020 foi destinada para a fabricação de farinha — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

Cerca de 80% da mandioca colhida em 2020 foi destinada para a fabricação de farinha — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

O produto é usado principalmente para fazer a farinha regional, envolvendo comunidades inteiras no beneficiamento da raiz.

O cultivo é considerado de um ciclo longo. Após o talo ser plantado na terra, em média entre 7 meses e até 2 anos, a mandioca pode ser colhida. O que indica o melhor momento de colheita é o diâmetro da raiz.

Mandioca é uma raiz que é base para vários produtos: farinha, tapioca, tucupi, entre outros — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

Mandioca é uma raiz que é base para vários produtos: farinha, tapioca, tucupi, entre outros — Foto: Danillo Borralho/Rede Amazônica

A pesquisa de orçamento familiar do IBGE aponta que cerca de 90 mil toneladas da mandioca colhida em 2020 (aproximadamente 80%) foram destinadas para fabricação de farinha ou derivados, gerando 30 mil toneladas do produto.

O IBGE destaca ainda que o consumo da farinha de mandioca não para de crescer, seja da puba, da tradicional ou da farinha de ralo, a mais sequinha. Em média, no ano passado, é como se cada morador de Macapá tivesse comido entre 18 e 20 quilos de farinha. O índice que chega perto de 40 quilos de consumo por pessoa, nas cidades de Oiapoque e Tartarugalzinho.

“É um lado social, é uma cultura que tem que ser mantida. A mandioca está trazendo recurso, ela usa mão de obra familiar. Tem um lado social muito importante porque prende o homem no campo, exige um trabalho durante o ano todo. Vem o plantio, os tratos culturais, a colheita...”, descreveu Raul Tabajara, tecnologista do IBGE no Amapá.

Soja

Produção e colheita de soja no Amapá — Foto: Rede Amazônica

Produção e colheita de soja no Amapá — Foto: Rede Amazônica

Segundo produto com maior colheita no estado, a soja tem se expandido nos últimos anos em terras amapaenses. Em 2019, o plantio atingiu uma área superior a 19 mil hectares, e em 2020 ultrapassou os 20 mil hectares.

No entanto, a colheita da soja foi menor, pouco acima de 47,8 mil toneladas, abaixo da estimativa feita pelo setor. A justificativa, segundo o tecnologista do IBGE, foi devido à grande quantidade de chuvas, mas principalmente por causa de uma praga que atingiu plantações.

“Esperava-se [colheita de] em torno de 2,6 mil, 2,7 mil quilos por hectare. Foi obtido 2,3 mil quilos por hectare. Essa redução foi em decorrência da doença da ‘soja louca’, que apareceu principalmente nas áreas de Macapá e Itaubal”, pontuou Tabajara.

IBGE destaca que plantações foram atacadas por praga — Foto: Rede Amazônica

IBGE destaca que plantações foram atacadas por praga — Foto: Rede Amazônica

Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Calendar