Carregando...

Motorista de BMW a 184 km/h que causou morte de casal em Macapá será julgado por júri popular

Situação dos dois veículos após a colisão. No carro vermelho estava o casal que morreu — Foto: Reprodução

Situação dos dois veículos após a colisão. No carro vermelho estava o casal que morreu — Foto: Reprodução

O empresário Dawson da Rocha Ferreira, de 40 anos, que responde pelo duplo homicídio no trânsito de Rosineide Batista Aragão e Mickel da Silva Pinheiro, será julgado por júri popular em data ainda a ser definida pelo Tribunal do Júri de Macapá.

A decisão pelos jurados foi da juíza Lívia Simone Cardoso, que aceitou os argumentos da acusação de que Dawson assumiu o risco de causar a morte ao dirigir sem carteira de habilitação um carro modelo BMW em alta velocidade.

Ele dirigia o veículo de luxo na Avenida Padre Júlio, no bairro Santa Rita, a 184 quilômetros por hora, de acordo com laudo da Polícia Técnico-Científica (Politec). Ele atingiu o carro das vítimas com velocidade 3 vezes superior à máxima definida para o trecho.

Dawson Ferreira da Rocha foi preso no dia seguinte ao acidente — Foto: Reprodução

Dawson Ferreira da Rocha foi preso no dia seguinte ao acidente — Foto: Reprodução

Dawson foi preso em flagrante no dia seguinte ao acidente, mas, desde abril responde em liberdade.

Em junho, a Justiça determinou que ele pague pensão aos dois filhos de Mickel, uma das vítimas, até a decisão final do caso.

Na movimentação que definiu o júri popular, chamada Sentença de Pronúncia, a magistrada explicou que a decisão não tem caráter punitivo.

"Fase esta meramente processual, ou seja, o juiz não julga o mérito da questão, não conclui se o acusado é culpado ou inocente, limita-se a remeter o feito à segunda fase que é a do julgamento em plenário", descreve a juíza.

Alta velocidade e mortes

Dawson Rocha virou réu em 28 de janeiro. Ele responde aos crimes de homicídio doloso por motivo torpe e com uso de recurso que tornou impossível a defesa das vítimas; de condução de veículo com capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool e cocaína; e ainda de direção de veículo com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa - o documento estava vencido desde 2017, segundo o Ministério Público.

A colisão da BMW conduzida por Dawson em alta velocidade atingiu em cheio o carro, modelo Celta, onde estavam Mickel da Silva Pinheiro, de 42 anos, e Rosineide Batista Aragão, de 49 anos, que morreram na hora.

Registros de uma câmera de segurança da via mostram o momento do acidente. A imagem detalha a BMW seguindo em alta velocidade pela Avenida Padre Júlio, sentido Centro-Zona Oeste. Após cruzar a Rua Paraná, não freia a tempo e colide com o Celta.

O veículo das vítimas estava no acostamento, também no sentido Centro-Zona Oeste e tentou fazer uma conversão na pista para o lado contrário, quando foi acertado em cheio pela BMW.

Mickel e Rosineide haviam acabado de sair do trabalho num restaurante próximo ao local do acidente. Ele era chefe de cozinha e ela assistente.

Além de Dawson, outro homem, de 26 anos, estava na BMW. Ambos foram atendidos no Hospital de Emergência (HE) e o motorista foi levado à delegacia após ter alta.

Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

Assista abaixo o que foi destaque no AP:

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*