Carregando...

'Vítimas da guerra entre facções', diz delegado sobre duas crianças mortas em 5 dias no AP

Yalisson Andrade, de 9 anos, e Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, foram mortos em intervalo de 5 dias no Amapá — Foto: Reprodução

Yalisson Andrade, de 9 anos, e Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, foram mortos em intervalo de 5 dias no Amapá — Foto: Reprodução

Em intervalo de 5 dias, duas crianças foram assassinadas enquanto brincavam próximo das casas onde moravam, na Região Metropolitana de Macapá. Yalysson Andrade de Moura, de 9 anos, foi morto na capital, no ultimo domingo (19) e Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, morreu no dia 15, em Santana. A origem de ambos os disparos é atribuída pela polícia à guerra entre facções no Amapá.

"É mais uma criança. No período de 5 dias, nós tivemos dois inocentes vítimas da guerra entre as facções. A primeira foi a Ana Júlia em Santana e no domingo foi mais um inocente. Yalysson também teve a vida ceifada pela irresponsabilidade desse indivíduos ", declarou Uberlândio Gomes, delegado-geral da Polícia Civil do Amapá.

A polícia diz que tanto Yalisson quanto Ana Júlia não eram os alvos dos atiradores, mas acabaram baleados e mortos pelas ações criminosas.

Caso Yalisson: Polícia Civil prende um dos suspeitos do crime; atirador ainda é procurado

Caso Yalisson: Polícia Civil prende um dos suspeitos do crime; atirador ainda é procurado

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (22), Gomes falou sobre a prisão de um dos investigados no caso Yalysson. A investigação já identificou o autor do disparo, que não foi preso até o fim da manhã. No entanto, a equipe preferiu não dar muitos detalhes sobre o suspeito.

O homem de 22 anos detido na segunda-feira (20) foi apontado como o motorista que deu fuga ao atirador. Ele foi preso na casa de um familiar no bairro Marabaixo, na Zona Oeste de Macapá - mesma região onde o menino foi morto.

Polícia Civil do Amapá busca por criminoso atirou contra o pequeno Yalysson Andrade de Moura — Foto: Núbia Pacheco/G1

Polícia Civil do Amapá busca por criminoso atirou contra o pequeno Yalysson Andrade de Moura — Foto: Núbia Pacheco/G1

De acordo com Gomes, a polícia reuniu relatos e provas que deram base à prisão em flagrante que foi transformada em prisão preventiva na terça-feira (21). Ele foi encaminhado para o presídio.

"No momento da fuga, o atirador deixou um par de sandálias e um boné que usava, que foram reconhecidos por familiares dele e que confirmaram a identidade. [...] Nós temos testemunhas visuais apontando que quem é esse atirador juntamente com o elemento que o conduziu até o local e depois empreendeu fuga junto", afirmou Gomes.

Caso Yalysson

Yalisson Andrade, de 9 anos, morreu enquanto brincava — Foto: Reprodução

Yalisson Andrade, de 9 anos, morreu enquanto brincava — Foto: Reprodução

Yalysson Andrade de Moura, de 9 anos, foi morto com um tiro no tórax no bairro Marabaixo. A criança brincava de bicicleta na frente de casa, longe do local do ataque, e mesmo assim foi baleada. Ele ainda chegou a ser socorrido para a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro, mas não resistiu e faleceu.

Preso suspeito de envolvimento na morte de Yalisson Andrade, de 9 anos — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Preso suspeito de envolvimento na morte de Yalisson Andrade, de 9 anos — Foto: Polícia Civil/Divulgação

A morte do menino é atribuída pela polícia à guerra entre facções criminosas no estado. De acordo com a investigação, o atirador entrou em uma casa e procurou por um homem, que seria o alvo dos tiros. Ao saber que ele não estava no local, o criminoso teria saído para uma via onde o avistou e fez os disparos.

"Ele saiu dessa casa e se deparou com essa pessoa na rua e um pouco mais adiante e de forma estabanada começou a atirar. Foram 4 tiros. Nenhum desses tiros atingiu a vítima pretendida, mas infelizmente um desses tiros atingiu o menor", relatou Gomes.

A polícia aponta que o homem preso na segunda-feira vai ser indiciado pelo crime de homicídio qualificado, na modalidade de coautor.

Caso Ana Júlia

Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, morreu após tiro na cabeça em Santana — Foto: Reprodução

Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, morreu após tiro na cabeça em Santana — Foto: Reprodução

Ana Júlia Pantoja, de 5 anos, morreu há uma semana, após levar um tiro na cabeça na região periférica conhecida como Baixada do Ambrósio, na Área Portuária de Santana, município a 17 quilômetros de Macapá.

O atirador declarou à polícia que o alvo era um homem e não a menina. Um outro suspeito, que teria concedido a arma para o ataque também foi preso. A Justiça decretou a prisão preventiva dos dois.

Prisão de homem suspeito de matar criança de 5 anos com tiro na cabeça em Santana, no Amapá — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Prisão de homem suspeito de matar criança de 5 anos com tiro na cabeça em Santana, no Amapá — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Vídeos de câmeras de segurança de casas vizinhas registraram o momento do disparo. A menina caminha sozinha na entrada de uma passarela quando recebe um tiro na cabeça e cai no chão, sem qualquer reação.

O autor do disparo também é flagrado em uma das cenas, atirando de trás de um poste na direção do caminho por onde a menina seguia. Após o tiro, ele sai correndo.

Local onde a menina foi baleada na Baixada do Ambrósio — Foto: Reprodução

Local onde a menina foi baleada na Baixada do Ambrósio — Foto: Reprodução

Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá

ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP:

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*