Carregando...

Em meio a caos na Saúde, corpos de vítimas da Covid-19 são trocados durante liberação em hospital de Manaus

Corpos de vítimas de Covid são trocados durante liberação em hospital de Manaus

Corpos de vítimas de Covid são trocados durante liberação em hospital de Manaus

Os corpos de duas vítimas da Covid-19 que morreram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues, em Manaus, foram trocados durante a liberação, nessa sexta-feira (15). Segundo as famílias, o parente de uma das vítimas reconheceu o corpo errado e autorizou a liberação.

Manaus enfrenta colapso no sistema de saúde por conta da falta de oxigênio nos hospitais, que estão lotados devido a um novo surto da Covid-19. Mais de 30 pacientes já foram transferidosa outros estados,mas a previsão do governo é enviar mais de 200.

De acordo com a filha de uma das vítimas, Michele Oliveira, a mãe, de 59 anos, sentiu os sintomas da Covid-19 e foi internada na UPA na terça-feira (12), após testar positivo para a doença.

“Internaram ela porque a oxigenação não estava boa. Quando foi na quinta, ela teve uma pequena piora, mesmo fazendo os exercícios. Como ela era hipertensa e diabética, ela teve essa complicação e foi transferida pra urgência”, disse Michele.

  • OXIGÊNIO: Entenda por que ele é tão importante para pacientes com Covid – e o que acontece quando ele falta
  • Crise do oxigênio no Amazonas: Entenda quanto falta e as ações para repor o insumo
  • SOLIDARIEDADE:Saiba como fazer doações para ajudar Manaus

A mãe de Michele foi transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e ela não pôde mais acompanhar. Ela contou ainda que, após cochilar durante a manhã de sexta-feira (15), acordou e presenciou o desespero das pessoas pela falta de oxigênio na unidade.

“Estava um furdunço. Muitos pacientes estavam passando por complicação naquele momento. Eu vi correria de médicos, enfermeiros. Quando saí para ver o que estava acontecendo, vi os cilindros chegando e a agonia do pessoal. Esse pequeno atraso, que seja de cinco minutos, de 10, de 15, faz um efeito muito grande, porque não foi só a minha mãe que me deixou no momento”, lamentou Michele.

Após o falecimento da mãe, Michele deixou a UPA para resolver o funeral e enterro. Quando retornou para a unidade de saúde, os agentes funerários não encontraram o corpo.

“Quando eu cheguei para a retirada, teve um problema de não achar. Normalmente a gente vai e reconhece o corpo e uma pessoa foi lá e reconheceu o corpo da minha mãe como o da sogra dele. Quando eu cheguei, o corpo da minha mãe não estava”, disse.

Michele contou que, no momento, achou que o ocorrido teria acontecido por culpa da UPA e questionaram o que foi feito com o corpo. Os funcionários da unidade checaram em câmeras de segurança e viram que o genro de outra vítima teria reconhecido o corpo dela por engano.

“O genro, talvez no nervoso, identificou o corpo como se fosse o deles. Logo após, o pessoal da funerária que levou foi comigo e pediram desculpa pelo transtorno. A gente fica preocupado em perder o corpo de uma pessoa, mas graças a Deus foi tudo resolvido. Ficamos bem assustados, mas foi tudo resolvido", explicou.

Michele lamentou a morte da mãe em meio ao caos na Saúde do Amazonas. "Quero chamar a atenção pelo descaso de deixarem pessoas morrerem por falta de oxigênio. A minha mãe sempre falava que tinha muito medo de morrer asfixiada. Foi justamente como aconteceu”, lamentou.

5 pontos sobre a Covid-19 no Amazonas

5 pontos sobre a Covid-19 no Amazonas

Oxigênio chegando a Manaus

Manaus recebeu, na madrugada deste sábado (16), uma carga de 70 mil metros cúbicos de oxigênio, vinda por meio de balsas da cidade de Belém. Segundo o Governo do Amazonas, a nova remessa deve garantir a "retomada do do equilíbrio do abastecimento da rede de saúde do estado para os próximos dias".

Uma força-tarefa foi montada pelos governos estadual e federal, além de diversos outros órgãos e doadores, para enviar oxigênio para a cidade ao longo da semana. Um avião que iria à Índia buscar vacinas irá trazer oxigênio de Campinas a Manaus neste sábado.

Situação dramática em Manaus: pacientes são transferidos por falta de oxigênio

Situação dramática em Manaus: pacientes são transferidos por falta de oxigênio

Aviões das Forças Armadas enviaram 5 mil metros cúbicos para hospitais de Manaus nesta semana, segundo nota do Ministério da Saúde. A capital também recebeu cargas de oxigênio edoações de diversos estados e artistas, como Whindersson Nunes e Gusttavo Lima.

"Hoje nós temos um aumento significativo, extraordinário. Em menos de 15 dias, passamos de 15 mil m³ para 75 mil m³, superando a capacidade que o fornecedor tinha de produzir oxigênio", disse o governador Wilson Lima à GloboNews, nesta sexta.

Assista a relatos da crise da falta de oxigênio em Manaus

7 vídeos

COVID-19 CAUSA COLAPSO NO AMAZONAS

  • Unidades de saúde ficaram sem oxigênio em Manaus

  • Amazonas envia pacientes para outros estados

  • Prefeitura de Manaus amplia horário de funcionamento dos cemitérios

  • Capital adota medidas mais duras de isolamento e toque de recolher

  • Nova variante do coronavírus é encontrada no Amazonas

  • Justiça Federal suspende Enem no Amazonas

  • Ministro da Saúde diz Manaus é 'prioridade nacional neste momento'

  • RELATOS: Médicos e familiares de pacientes descrevem colapso

  • Entenda por que o oxigênio é tão importante para pacientes com Covid

  • Artistas fazem campanha por oxigênio

  • 'Terrível, o problema em Manaus. Agora, nós fizemos nossa parte', diz Bolsonaro

  • PODCAST | O Assunto #362: Manaus de volta ao inferno da Covid


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar