Carregando...

Portaria torna obrigatória a comprovação de vacinação para servidores da Semsa em Manaus

Vacina da Pfizer é usada em doses de reforço para idosos em Manaus. — Foto: Divulgação

Vacina da Pfizer é usada em doses de reforço para idosos em Manaus. — Foto: Divulgação

A partir deste mês, os servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Manaus deverão apresentar a carteira de vacinação original, comprovando a aplicação da 1ª, 2ª e 3ª doses ou de dose única de vacina contra a Covid-19, na unidade administrativa à qual esteja vinculado.

As orientações constam na portaria nº 512/2021 da Semsa, publicada na edição nº 5.202, do Diário Oficial do Município (DOM), desta quarta-feira, 13/10, disponível no link https://bit.ly/2YUbgX2.

A resolução prevê, ainda, a obrigatoriedade de apresentação da comprovação de imunização contra a Covid-19, caso o Ministério da Saúde determine novas doses de reforço.

A medida inclui servidores com todos os tipos de vínculos com a Semsa: estatutários, estabilizados, do Regime de Direito Administrativo, ocupantes de cargos comissionados, profissionais médicos contratados pelo Programa Mais Médicos para o Brasil, bolsistas, estagiários, voluntários e colaboradores terceirizados.

De acordo com a portaria, o não cumprimento da determinação será classificado como falta disciplinar, com a aplicação das penalidades previstas na lei nº 1.118/1971, que rege o Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Manaus e aos ocupantes dos demais vínculos de trabalho. A exceção são os servidores que, por motivo de saúde devidamente comprovado, não estejam aptos à imunização contra a Covid-19.

A portaria estabelece que caso o servidor comprove que tomou somente a primeira dose, e que esteja aguardando o prazo para a 2ª dose, deverá apresentar a carteira de vacinação logo após a segunda aplicação. O servidor que apresentar a carteira de vacinação com a 1ª dose e que tenha perdido o prazo da 2ª dose, será notificado para que complete o esquema vacinal.

Os trabalhadores oriundos do Programa Mais Médicos para o Brasil, estagiários, voluntários, colaboradores e terceirizados que não cumprirem as orientações, serão notificados no prazo de dez dias para que comprovem o esquema vacinal contra a Covid-19. Caso isso não ocorra, poderão ser dispensados do exercício de suas atividades.

A portaria estabelece prazos, para que os servidores se adequem, e penas, para o caso de não atendimento, que podem ser de advertência, repreensão devido à reincidência na conduta funcional e instauração de Processo Administrativo Disciplinar (PAD), para aplicação da pena de suspensão.

O documento determina, ainda, que a partir da publicação, a carteira de vacinação, com o registro do esquema vacinal completo, passa a ser documento necessário para posse, contratação ou qualquer espécie de integração de recursos humanos na Semsa.

Os vídeos mais assistidos do g1 Amazonas

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*