Carregando...

MPDFT quer estudo do impacto da flexibilização de medidas restritivas - Notícias - R7 Brasília

A Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (Prosus), que acompanha as ações do governo do Distrito Federal em relação à pandemia de Covid-19, solicitou à Secretaria de Saúde que faça um estudo epidemiológico para avaliar os impactos da flexibilização de medidas restritivas na evolução da crise sanitária.

O ofício com o pedido foi encaminhado pelo Ministério Público à pasta nesta sexta-feira (5). Nesta última quarta-feira (3), entraram em vigor as mudanças nas regras de contenção da transmissão da doença. O governador Ibaneis Rocha (MDB) assinou o decreto que liberou aulas coletivas em academias, a retomada do comércio sem restrição de horário e a queda da exigência do uso de máscaras em ambientes abertos.

Nas escolas públicas, as turmas voltaram a frequentar as salas de aula com capacidade máxima no ensino presencial. Para o MPDFT, apesar do índice de vacinação com duas doses das pessoas de 12 anos ou mais estar em 65,6%, é preciso monitorar a taxa de transmissão da infecção na definição de políticas públicas.

O Ministério Público pediu ainda que o GDF promova um mutirão de vacinação para imunizar quem não vacinou. Nesse caso, o atendimento deveria ser ampliado e concentrado.  “Observamos a redução no horário de atendimento e na quantidade de postos de vacinação. Acreditamos que um mutirão será importante para ampliar o número de vacinados no Distrito Federal e dar mais segurança e proteção a todos”, defendeu a promotora de Justiça Hiza Carpina.

Procurada, a Secretaria de Saúde informou que ainda não foi notificada do ofício. "De antemão, a pasta esclarece que todos os ofícios do MPDFT são respondidos dentro dos prazos estabelecidos pelo órgão. Tão logo o documento chegue será apreciado e respondido", diz a nota da pasta. Na entrevista coletiva dessa quinta-feira (4), o secretário de Saúde, Manoel Pafiadache, reforçou que o governo vai promover um dia D para ampliar a vacinação no DF.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*