Carregando...

'PF foi em cima da AGU', diz Bolsonaro sobre investigação por associar vacina à Aids - Notícias - R7 Brasília

O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) minimizou nesta sexta-feira (18) a investigação da Polícia Federal que aponta que o chefe do Executivo cometeu crime ao associar as vacinas contra a Covid-19 ao desenvolvimento da Aids.

"Eu só vou falar uma coisa: o relatório da PF foi em cima da defesa da Advocacia-Geral da União. Mais nada além disso aí", disse Bolsonaro para os jornalistas em São José dos Campos, no interior paulista.

Para a PF, Bolsonaro cometeu crime ao associar as vacinas contra a Covid-19 ao desenvolvimento da Aids. De acordo com a corporação, o presidente disseminou informações falsas, alegando se basear em relatórios do Reino Unido.

As declarações do chefe do Executivo federal foram feitas durante uma transmissão ao vivo pelas redes sociais e não têm base científica. Na ocasião, sem apresentar provas, Bolsonaro afirmou que as pessoas vacinadas contra o coronavírus estavam "desenvolvendo Aids muito mais rápido do que previsto".

As investigações mostram que o texto lido pelo presidente foi elaborado pelo ajudante de ordens Mauro Cid. Segundo a investigação, o funcionário colheu as informações na internet, em reportagens e artigos, mas deturpou o conteúdo que leu e a partir daí produziu textos com informações falsas. As pesquisas, testes e a aplicação dos imunizantes contra a Covid-19 revelam que as vacinas são seguras e produzem a resposta imunológica necessária, gerando proteção contra o vírus e salvando vidas.

Leia mais: Defesa de Bolsonaro diz que multa por críticas às urnas é um 'verdadeiro absurdo'

"Jair Messias Bolsonaro, por sua vez, de forma direta, voluntária e consciente, disseminou as desinformações produzidas por Mauro Cid, em sua live semanal no dia 21 de outubro de 2021, causando verdadeiro potencial de provocar alarme junto aos espectadores, ao propagar a desinformação de que os 'totalmente vacinados contra a Covid-19' estariam 'desenvolvendo a síndrome de imunodeficiência adquirida muito mais rápido que o previsto', e que essa informação teria sido extraída de 'relatórios do governo do Reino Unido'." 

Bolsonaro realiza, nesta sexta-feira (18), sua primeira agenda em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, desde que se lançou oficialmente candidato à reeleição. A campanha oficial foi iniciada na última terça-feira (16)  em Juiz de Fora (MG).


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*