Carregando...

IPCA acelera a 1,25% em outubro, maior resultado para o mês desde 2002

Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) — que mede a inflação oficial do país –, foi de 1,25% em outubro ante 1,16% no mês anterior. A aceleração vista no índice veio, sobretudo, devido aos combustíveis.

O valor veio acima da expectativa do mercado, cuja projeção ficava em torno de 1,15%.

O resultado do mês é maior para o período desde 2002, quando o índice foi de 1,31%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (10).

No ano, o indicador acumula alta de 8,24% e, em 12 meses, de 10,67%.  No mês anterior, o acumulado em 12 meses era menor (10,25%).

O IBGE verificou alta nos preços de todos os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, com destaque para os transportes (2,62%), levados pelo valor dos combustíveis (3,21%).

Nesse grupo, só a gasolina teve alta de 3,10%, o maior impacto individual no índice do mês (0,19 p.p.).

O instituto ressalta que essa foi a sexta alta consecutiva nos preços desse combustível, que acumula 38,29% de variação no ano e 42,72% nos últimos 12 meses.

/ IBGE

“Transportes tiveram a maior variação e o maior impacto (0,55 p.p) de longe no índice do mês, afirma o gerente do IPCA, Pedro Kislanov em nota.

O resultado vem em meio a uma série de reajustes anunciados pela Petrobras no preço do combustível vendido às refinarias.

Além da gasolina, os demais combustíveis também tiveram alta no mês: óleo diesel (5,77%), etanol (3,54%) e gás veicular (0,84%).

Outro destaque do grupo de transportes ficou com as passagens aéreas, com alta de 33,86%. O IBGE destaca que esse item avançou em todas as regiões pesquisadas, que foram desde 8,10% em Rio Branco até 47,52% em Recife.

Em atualização


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*