Carregando...

Porcos participam de projeto de prevenção a acidentes aéreos na Holanda

Os porcos não conseguem voar de fato, mas podem ter um papel a desempenhar na segurança das viagens aéreas.

O aeroporto Schiphol, de Amsterdã, empregou 20 dos animais como parte de um projeto piloto com o objetivo de reduzir o número de colisões de pássaros com aeronaves.

Colisões entre aeronaves e pássaros maiores, como gansos, podem representar sérios riscos, particularmente se os animais forem sugados para dentro dos motores.

O aeroporto registrou cerca de 150 ataques de aves em 2020, disse a porta-voz de Schiphol, Willemeike Koster, à CNN na quarta-feira (24), e o projeto piloto com os porcos é uma das várias medidas que o aeroporto está tomando para tentar reduzir o número de acidentes.

O projeto envolveu porcos dispostos em um terreno de cinco acres onde beterraba açucareira havia sido colhida recentemente entre duas pistas, disse o aeroporto em um comunicado de imprensa em setembro, no qual anunciava o projeto.

Os porcos foram fornecidos por Buitengewone Varkens, uma pequena empresa suinícola que cria os animais ao ar livre.

O aeroporto Schiphol se aproximou da empresa e perguntou se os porcos poderiam comer os restos da colheita, que atraem gansos e outras aves, disse o coproprietário Stan Gloudemans à CNN na quarta-feira.

O primeiro benefício é que os porcos ajudam a tornar a área menos atraente para as aves ao remover uma fonte de alimento, disse Gloudemans.

Um segundo benefício é o fato de que, como comedores de carne, os porcos também tentarão pegar gansos que pousam no campo para descansar, acrescentou ele.

Enquanto os porcos não conseguem se mover suficientemente rápido para realmente pegar os gansos, suas tentativas significam que eles agem como espantalhos vivos e assustam as aves.

A fazenda de Gloudemans produz cerca de 300 leitões por ano. Eles são normalmente distribuídos ao redor da Holanda para limpar ervas daninhas ou restos de colheitas em vez de servirem como parte das medidas de segurança das aeronaves, disse ele.

“Esta foi a pergunta mais estranha”, disse Gloudemans, acrescentando: “Da próxima vez, talvez eles me peçam para manter os ladrões afastados ou algo do tipo”.

O Aeroporto Schiphol disse que o sucesso do projeto será medido pela análise da atividade das aves na área durante o tempo em que os porcos estiveram presentes em comparação com quando eles não estavam.

O aeroporto já emprega 20 controladores de aves que trabalham 24 horas por dia para mantê-las afastadas, utilizando tecnologia como feixes de laser e sons. Também são plantados tipos especiais de capim para tornar a área “o menos atraente possível para os pássaros”, disse Koster.

O projeto piloto de seis semanas terminou na primeira semana de novembro, disse Koster, acrescentando que era “informativo”. Os dados coletados serão examinados nos próximos meses, e uma decisão sobre o uso de porcos a longo prazo é esperada no início do próximo ano, disse ela.

*Esta matéria foi traduzida. Leia a original, em inglês


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*