Carregando...

Facebook Marketplace | Conheça os 8 principais golpes e como evitá-los

Para os hard users de internet, o Facebook se tornou uma espécie de feira livre. E essa impressão tem lá sua lógica, já que a ferramenta de compra e venda da rede social de Mark Zuckerberg, o Marketplace, alcançou a marca de um bilhão de usuários ao redor do mundo em 2021.

Facebook Marketplace | Conheça os 8 principais golpes e como evitá-los
Foto: Captura de tela: Caio Carvalho/Canaltech / Canaltech
  • Golpista ameaça processar vítima após golpe do Pix dar errado
  • Entenda a diferença entre marketplace, e-commerce e vitrine virtual

Por conseguirem ver os perfis dos vendedores no Facebook, os usuários tendem a ver o Marketplace do Facebook como um local seguro para comprar. Porém, golpistas têm usado a plataforma para aplicar golpes. Segundo uma pesquisa da empresa de segurança da informação ESET, 17% dos usuários ouvidos já foram enganados no Marketplace.

  • Rotação da Terra está cada vez mais rápida, e isso preocupa cientistas
  • Autoridades chilenas investigam buraco misterioso; assista
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Entre os golpes mais aplicados pelos criminosos que operam no Marketplace do Facebook, destacam-se pelo menos oito modalidades. Conheça aqui quais são eles e quais as melhores formas de se proteger de criminosos na hora de comprar usando sua rede social.

Os pricipais golpes aplicados no Facebook Marketplace

  1. Itens com defeito: como as transações dentro da plataforma são diretamente entre vendedor e comprador e o Facebook é apenas a vitrine. Nisso, é comum que golpistas anunciem produtos quebrados, principalmente eletrônicos, que possuem funções que não podem ser avaliadas antes da compra.
  2. Produtos falsos: itens como camisas de futebol, perfumes, jóias e tênis da chamada cultura sneaker são as principais iscas usadas por quem vende itens falsificados. Em geral, os golpistas oferecem produtos com valores muito abaixo do que é praticado por lojas especializadas, por exemplo, para pegar pessoas desavisadas.
  3. Golpe do Google Voice: o Google Voice é um serviço que permite utilizar uma conta vinculada a um número de telefone para fazer chamadas ou enviar mensagens usando um navegador web. Este golpe tem o objetivo de roubar ou criar novas contas na plataforma do Google com o número de telefone da vítima.

    Neste caso, os criminosos entram em contato com vendedores e usam o interesse nos produtos ofertados como desculpa. Em seguida, eles pedem que a conversa continue em outra plataforma, como o WhatsApp. Lá, é pedido ao vendedor que compartilhe um código que será enviado ao telefone, que seria uma espécie de comprovante de legitimidade.

    Este código, na verdade, é a autenticação de dois fatores do Google Voice. Quando a vítima compartilha o código, os golpistas tomam conta de seu perfil no Google Voice ou usam o número de telefone para criar novas contas, que são usadas para executar outros golpes.

  4. Pagamento errado: nesta estratégia, o golpista afirma ao vendedor que fez um Pix com um valor errado, muito acima do que foi combinado pelo item. Em seguida, envia um comprovante falso e pede reembolso. Depois que o reembolso é feito, o criminoso some e o dinheiro é perdido.
  5. Produto fantasma: neste golpe bem simples, os criminosos anunciam um produto e pedem a transferência dos valores referentes ao item e ao frete. Em algumas ocasiões, postam um comprovante de envio falso, mas, na maioria das vezes, apenas embolsam o dinheiro e somem sem dar satisfações ou enviar o produto.
  6. Sorteios falsos: uma tática para obter informações sobre as vítimas é o envio de e-mails falsos de phishing com promoções falsas no Facebook Marketplace. Nesse momento, além de um link com um anúncio do suposto prêmio, também é enviado um formulário, em que as vítimas acabam colocando seus dados pessoais, que são roubados pelos bandidos.
  7. Golpe do seguro: esta fraude tem como alvo pessoas que vendem itens de alto valor no Facebook Marketplace. Os golpistas se passam por compradores dispostos a pagar pelo envio do item e enviar uma fatura falsa para comprovar isso. Porém, eles pedem uma espécie de seguro, equivalente a uma parcela do valor do item.

    Como a quantia é pequena em relação ao valor do produto, isso pode levar o vendedor a aceitar e depositar esta quantia na conta do golpista. Com o dinheiro em mãos, o criminoso desaparece com o falso seguro.

  8. Ofertas falsas: nesta modalidade de fraude, os golpistas anunciam produtos de alta qualidade por um preço muito abaixo do que é praticado. Quando um potencial cliente entra em contato, é dito que aquele produto acabou, e em seguida, é oferecido um produto inferior pelo mesmo valor ou um item semelhante por um preço mais alto.

O que fazer para não cair em golpes no Facebook Marketplace

A maior parte dos itens ofertados no Facebook Marketplace são autênticos, porém, para evitar cair em qualquer um desses golpes, é importante tomar alguns cuidados. Em caso de vendedores locais, é necessário fazer todos os testes possíveis. Além disso, sempre se encontre com as contrapartes em locais públicos e, se possível´, durante o dia.

Observe muito bem os perfis das pessoas que estão negociando com você e sempre desconfie de ofertas muito boas vindas de perfis que foram criados há pouco tempo. Também verifique o valor de mercado dos itens ofertados e faça muitas perguntas, se possível técnicas, aos vendedores, para levantar informações sobre o estado do item.

Para uma navegação segura no Marketplace do Facebook, é importante prestar atenção em alguns pontos. (Imagem: Reprodução/PxHere)
Para uma navegação segura no Marketplace do Facebook, é importante prestar atenção em alguns pontos. (Imagem: Reprodução/PxHere)
Foto: Canaltech

Nunca insira seus dados pessoais para participar de nenhum tipo de sorteio ou promoção que não tenha um número de autorização da Caixa. Sempre use meios de pagamento que permitam retenção ou reembolso do valor que foi pago, como PayPal, PicPay e afins, que permitem a contestação do pagamento.

Evite mudar a conversa de plataforma e faça a negociação toda pelo Facebook. Em caso de golpe, ter o histórico de conversa facilita o processo de denúncia do perfil do criminoso, que pode resultar na derrubada da conta. Por fim, nunca antecipe pagamentos ou reembolsos e não envie nenhum código de verificação para potenciais compradores.

Trending no Canaltech:

  • Site gratuito restaura fotos de maneira impressionante usando IA
  • Substituto do Onix? Chevrolet prepara lançamento de novo carro compacto
  • Startups participam de maior competição do Brasil e podem ir para fora do país
  • Cientistas explicam o que acontece com o cérebro depois da meia-noite
  • 5G puro chega a São Paulo; veja cobertura e como ativar


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Calendar