Carregando...

Este é número mínimo de passos diários para não engordar, segundo a ciência

Novo estudo, publicado na revista Nature Medicine, associa diretamente o número de passos diários a riscos menores de doenças crônicas e outras condições de saúde, como obesidade, e cravam quantos passos seriam necessários para emagrecer: 8.200, o que equivale a 6,8 quilômetros.

Este é número mínimo de passos diários para não engordar, segundo a ciência
Foto: cookie_studio/Freepik / Canaltech
  • Atingir meta diária de passos reduz o risco de várias doenças
  • Caminhar 10 mil passos por dia ajuda a reduzir risco de demência

Responsáveis pela pesquisa, os pesquisadores da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, utilizaram aparelhos de monitoramento de passos e atividades físicas — Fitbit— para obter informações de 6.042 voluntários americanos entre os 41 e 67 anos de idade, seguindo-os por 4 anos. Destes, 73% eram mulheres, 84% eram brancos e 71% tinham formação superior, com média de idade de 56,7 anos.

Efeito do "espaço azul" na infância está ligado com o bem-estar na fase adulta Agrotóxicos: 'estamos todos participando de uma experiência química global' Finalmente a ciência entendeu por que todo ser vivo usa a mesma fonte de energia
8.200 passos diários evitam obesidade e várias doenças crônicas, segundo a ciência (Imagem: jcomp/Freepik)
8.200 passos diários evitam obesidade e várias doenças crônicas, segundo a ciência (Imagem: jcomp/Freepik)
Foto: Canaltech

Benefícios dos passos diários

Os 8.200 passos diários estipulados pelo estudo foram associados a riscos menores de refluxo, transtorno depressivo, apneia do sono, obesidade, hipertensão e diabetes tipo 2 com manifestações neurológicas. Isso vale para todos os segmentos populacionais avaliados e valeram após 6 meses de monitoramento.

Esses efeitos benéficos só aumentam caso você decida se esforçar um pouco mais: a cada 1.000 passos extras, os riscos de desenvolver as doenças crônicas citadas diminuem linearmente. A melhora progressiva, no entanto, não foi observada com diabetes tipo 2 e hipertensão acima dos 9.000 passos, ficando, portanto, limitada a essa quantidade.

Uma das novidades do estudo foi o acompanhamento dos participantes: anteriormente, pesquisas semelhantes dependiam de questionários preenchidos pelos próprios voluntários ou os monitoravam por períodos curtos, como 7 dias, o que limita a precisão dos dados obtidos e pode acabar com reportes exagerados das atividades executadas.

Nos voluntários acima do peso, os benefícios acabaram surgindo apenas a partir de esforços maiores: de acordo com os cientistas, o mínimo para esse estrato populacional fica em 11.000 passos diários. A partir dessa quantidade, o risco de desenvolver obesidade pode diminuir em até 64%. Os dados vieram da iniciativa de pesquisa americana All of Us, que acompanha mais de 1.000.000 de pessoas nos EUA.

Fonte: Nature Medicine

Trending no Canaltech:

  • Agência de Inteligência dos EUA quer recriar mamutes extintos
  • BMW M2 de 2ª geração tem potência absurda e deve vir ao Brasil
  • 5 motivos para NÃO comprar o Jeep Renegade 2022
  • Finalmente a ciência entendeu por que todo ser vivo usa a mesma fonte de energia
  • Novo golpe mistura phishing e ligações para contaminar celulares Android

+Os melhores conteúdos no seu e-mail gratuitamente. Escolha a sua Newsletter favorita do Terra. Clique aqui!


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar