Carregando...

Suspeito de jogar pedra em mãe e bebê em Campinas é policial civil; corregedoria vai apurar conduta

Vídeo: Mãe e filha são hostilizadas em condomínio do Jardim Botafogo, em Campinas

Vídeo: Mãe e filha são hostilizadas em condomínio do Jardim Botafogo, em Campinas

O homem suspeito de jogar pedras contra uma mulher e a bebê dela em Campinas (SP) é policial civil. A Corregedoria vai apurar a conduta. O vídeo que mostra o casal hostilizando as vítimas viralizou nas redes sociais.

De acordo com o Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter 2), que responde por Campinas, o policial civil suspeito não atua na região. O suspeito estaria afastado das funções por licença médica.

O G1 solicitou à Secretaria de Segurança Pública (SSP) informações sobre a área de atuação do suspeito e se as denúncias de injúria racial também serão apuradas. Assim que a pasta se manifestar, o texto será atualizado.

LEIA TAMBÉM:

  • RIO:Mulher é detida por crime de injúria racial após ofender funcionários e clientes de bar
  • NATAL: Homem é autuado por injúria racial em shopping
  • BAHIA:Jovem denuncia vizinho por ameaça e injúria racial

O G1 não conseguiu contato com o suspeito. A reportagem da EPTV tentou contato com o homem na manhã desta terça-feira (8). Uma mulher que estava na casa disse que ele não morava mais no local.

Homem é acusado de jogar pedras e xingar criança e mãe em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Homem é acusado de jogar pedras e xingar criança e mãe em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Agressões e xingamentos

A agressão aconteceu por volta de 20h30 de sexta-feira (4), segundo a estudante Julia Barros de Andrade. Ela disse que estava com o marido e a filha, que brincava no parquinho, quando o homem arremessou pedras que pegou de uma caçamba.

"A gente não estava fazendo barulho e ele já veio de forma agressiva com a esposa dele. Pegou as pedras da caçamba e começou a jogar contra a minha filha para poder acertar ela", contou Julia.

"Só peguei a minha filha, abracei e saí correndo porque ela estava assustada", completou.

Pedra recolhida pela estudante de Campinas foi arremessada contra filha dela, mas não a acertou — Foto: Reprodução/EPTV

Pedra recolhida pela estudante de Campinas foi arremessada contra filha dela, mas não a acertou — Foto: Reprodução/EPTV

Em um momento do vídeo, é possível ouvir o vizinho xingando a criança.

"Eu não pus essa merda dessa criança no mundo aí. (...) Essa bosta que saiu de você", disse.

Injúria racial

Segundo a estudante, o vizinho também a xingou e cometeu injúria racial. Ela registrou um boletim de ocorrência para que o caso seja investigado.

"Ele me chamou de suja, me chamou de encardida, falou que eu tinha que voltar para o lugar de onde eu vim. Que o que eu coloquei no mundo foi uma indigente", disse.

Julia afirmou também que o vizinho discutiu com o marido dela, mas só direcionava os xingamentos a ela e a filha.

Julia Barros de Andrade mora com a família em um condomínio no bairro Botafogo, em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Julia Barros de Andrade mora com a família em um condomínio no bairro Botafogo, em Campinas — Foto: Reprodução/EPTV

Moradores denunciam outros casos

Outros moradores da rua relataram pelo menos outras 20 ocorrências de desentendimento com o mesmo casal. Veja no vídeo abaixo.

Vizinhos hostilizam e jogam pedras em mãe e filha no Jardim Botafogo, em Campinas

Vizinhos hostilizam e jogam pedras em mãe e filha no Jardim Botafogo, em Campinas

Um outro homem, que tem um filho de 5 anos, afirmou que a criança também foi insultada enquanto o vizinho jogava pedras. Ele mostrou a marca que ficou na pilastra do prédio.

"Ele alega que incomoda, que está trabalhando em casa e aí ele perde o controle e inicialmente ele jogava lixo, jogava restos de comida, jogava restos de recicláveis, tanto ele como a esposa", disse o morador, que pediu para não ser identificado.

Segundo o morador, o vizinho começou a jogar pedras e uma delas passou a 20 centímetros do filho dele. Ele também teria quebrado o para-choque de carros e tentado agredir outras pessoas.

Veja mais notícias da região no G1 Campinas


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*