Carregando...

Entenda como são julgados os quesitos do carnaval do Rio de Janeiro

Detalhe da ala mestres do brincar da Unidos do Viradouro — Foto: Marcelo Brandt/G1

Detalhe da ala mestres do brincar da Unidos do Viradouro — Foto: Marcelo Brandt/G1

Os desfiles do Grupo Especial das escolas de samba do carnaval 2022 do Rio de Janeiro acontecem nos dias 22 e 23 de abril, no Sambódromo da Marquês de Sapucaí.

  • Veja ordem dos desfiles na Sapucaí

O grupo de jurados escolhido pela Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) se baseia no Manual do Julgador para avaliar as agremiações.

Já tem torcida para o Carnaval deste ano? O g1 transmitirá todos os desfiles na Sapucaí e no Anhembi, simultaneamente, e você poderá acompanhar ao vivo cada detalhe de sua escola de coração. Saiba mais: g1 transmite ao vivo desfile das escolas de samba do Rio e de São Paulo.

9, 9,1, 9,2... a 10

Nove quesitos são julgados com notas que variam de nove até dez, com uma casa decimal. Todas as notas diferentes de 10 também devem ser acompanhadas de justificativa por escrito, com critérios técnicos.

As escolas podem perder pontos se saírem com menos de 200 ritmistas na bateria e menos de 60 baianas agrupadas. Também haverá punição se a agremiação trouxer animais ou se qualquer integrante estiver nu.

Cada escola tem um tempo mínimo de 60 minutos, e máximo de 70 minutos para desfilar. Cada minuto faltante ou estourado resultará na perda de um décimo.

Confira abaixo os nove quesitos avaliados pelo júri:

  • Harmonia: O julgador deverá considerar a perfeita igualdade do canto do samba-enredo pelos componentes em consonância com o intérprete e a manutenção de sua tonalidade. Alas que não cantam prejudicam a escola toda.
  • Samba-enredo: O jurado aprecia letra e melodia separadamente. Para a letra, consideram-se a adequação da letra ao enredo, a riqueza poética, a beleza e o bom gosto e a adaptação à melodia. Para a melodia, o julgador aprecia as características rítmicas próprias do samba, a riqueza melódica, sua beleza e o bom gosto de seus desenhos musicais e a capacidade de sua harmonia musical facilitar o canto e a dança dos desfilantes.
  • Bateria: Avalia a manutenção regular e a sustentação da cadência em consonância com o samba-enredo; a perfeita conjugação dos sons emitidos pelos vários instrumentos e a criatividade e a versatilidade do grupo.
  • Alegoria: Julga, nos subquesitos concepção e realização, se o carro é pertinente ao enredo e se ele está bem-acabado.
  • Comissão de Frente: A coreografia e a fantasia são levadas em consideração. A capacidade de impactar positivamente o público conta pontos.
  • Enredo: São dois subquesitos somados. Em concepção, é apreciada a ideia básica apresentada pela escola, sobretudo na importância e na densidade cultural. Contam pontos a clareza, a coerência e a coesão na roteirização do desfile. Em realização, valem a capacidade de compreensão através das fantasias, alegorias e outros elementos plástico-visuais, assim como a exposição do tema no roteiro.
  • Fantasia: Avalia, também separando realização e concepção, a criatividade, a informação, o uso das cores e o acabamento.
  • Mestre-sala e porta-bandeira: Considera-se a harmonia do casal que, durante a sua exibição, com graça, leveza e majestade, deve apresentar uma sequência de movimentos coordenados, deixando evidenciada a integração do casal;
  • Evolução: Julga a fluência da apresentação, penalizando buracos, correrias e retrocessos de alas e alegorias. Considera a espontaneidade, a criatividade, a empolgação e a vibração dos desfilantes e a coesão do desfile — a manutenção de espaçamento o mais uniforme possível.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*