Carregando...

Dados apontam redução de casos e mortes por Covid no Ceará; veja o cenário da pandemia no estado

Número de mortes por Covid-19 caiu em todo o Brasil desde o início da campanha de vacinação — Foto: Odair Leal/Secom

Número de mortes por Covid-19 caiu em todo o Brasil desde o início da campanha de vacinação — Foto: Odair Leal/Secom

Com o avanço da vacinação, os números de internações, casos e óbitos por Covid-19 estão em queda no Ceará. O cenário atual permitiu a flexibilização de muitas medidas restritivas resultando na reabertura do comércio, realização de eventos com limitação de público e o retorno das aulas presenciais nas escolas, por exemplo.

  • Mortes e casos de coronavírus nos estados
  • Mapa da vacinação pelo Brasil

Apesar da melhora nos indicadores, o contágio e os óbitos pela doença ainda são registrados no estado, por isso algumas medidas de segurança ainda ocorrem, como o uso de máscaras e a proibição de aglomerações e shows.

Um levantamento feito pelo g1 mostra o cenário da pandemia no Ceará desde quando foram registradas as primeiras mortes por Covid-19, em março de 2020, além de trazer o andamento da vacinação, a taxa de ocupação dos leitos e as medidas sanitárias obrigatórias.

Óbitos por Covid-19

O Ceará registrou as primeiras mortes por Covid-19 em no final de 2020, desde então o estado contabiliza 24.335 óbitos pela doença e de 941.743 casos, segundo dados da Secretaria da Saúde (Sesa) atualizados nesta quinta-feira (14).

O mês mais letal da doença foi maio de 2020, com um total de 4.152 óbitos; seguido de abril de 2021, na segunda onda da pandemia, quando estado registrou 3.813 mortes por Covid-19. O levantamento leva em conta o período entre os meses de março de 2020 a setembro de 2021.

Confira abaixo o gráfico com o número de mortes por mês registrado entre março de 2020 a setembro de 2021:

Mortes por Covid-19 por mês no Ceará
Fonte: Secretaria da Saúde do Ceará

Taxa de ocupação dos leitos

A baixa taxa de ocupação dos leitos de enfermaria e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) atual no Ceará é um cenário bem diferente do que foi registrado em março deste ano, quando todos os hospitais privados de Fortaleza chegaram a entrar em colapso.

Na época, o estado enfrentava a segunda onda de Covid-19 com aumento dos números de óbitos por três meses seguidos. O então secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto alertou para a gravidade do problema vivido no estado.

"Todo o estado brasileiro está em situação muito difícil. Todos os hospitais privados de Fortaleza estão em colapso, 100% deles. Diariamente eu tenho solicitações para ajudar, para colaborar, e essa integração do Ceará como um todo é agora mais importante", disse à época.

A taxa de ocupação nos leitos de enfermaria registrada atualmente no estado é de 9,41% e de 42,11% nos de UTI, de acordo com dados do IntegraSUS desta quarta-feira (14).

Vacinação

De acordo com informações do consórcio de veículos de imprensa, até o momento o Ceará já aplicou a primeira dose em 6.331.670 pessoas, o que representa 68,62% da população e com a segunda dose ou dose única foram imunizadas 4.212.403 pessoas, ou 45,59% da população do estado.

A campanha de imunização contra a Covid-19 no Ceará teve início no dia 18 de janeiro de 2021, quando a primeira carga com 218 mil doses da Coronavac chegou ao estado.

Técnica de enfermagem é a primeira a receber vacina no Ceará.

Técnica de enfermagem é a primeira a receber vacina no Ceará.

A técnica de enfermagem Maria Silvana Souza Reis, de 51 anos foi a primeira a receber a dose da vacina contra a Covid-19 no Ceará. Ela foi imunizada momentos depois da chegada do lote no Hospital Leonardo da Vinci, em Fortaleza.

O que ainda é restrito no estado

FORTALEZA - Ruas do Centro da capital cearense que rotineiramente são cheias de gente, estiveram sem movimentação em março de 2020— Foto:Thiago Gadelha/SVM

FORTALEZA - Ruas do Centro da capital cearense que rotineiramente são cheias de gente, estiveram sem movimentação em março de 2020 — Foto: Thiago Gadelha/SVM

Depois de passar pois dois períodos de isolamento social rígido, com o fechamento do comércio, das praias, escolas, academias e estádios de futebol e ficar com ruas e avenidas completamente vazias, o Ceará permitiu a reabertura das atividades econômicas e a realização de alguns eventos, contudo algumas medidas sanitárias seguem sendo recomendadas pelo governo estadual para evitar a transmissão do vírus.

Veja as medidas sanitárias em vigor no Ceará:

  • uso de máscaras cirúrgicas em locais abertos e fechados;
  • proibição de aglomerações de pessoas em espaços públicos ou privados;
  • manutenção do dever especial de confinamento;
  • recomendação para que as pessoas permanecem em suas residências, saindo somente em casos de real necessidade;
  • vedação à entrada e permanência em hospitais, públicos ou particulares, de pessoas estranhas à operação da respectiva unidade, à exceção de pacientes, seus acompanhantes e profissionais que trabalhem no local;
  • recomendação ao setor privado com atividades liberadas para que priorize o trabalho remoto
  • uso controlado dos espaços comuns e equipamentos de lazer em condomínios de praia, de uso misto (moradia e lazer) e/ou preponderantemente de temporada ou veraneio, inclusive aqueles condomínios certificados e/ou qualificados como “resorts”;
  • separação, para fins de controle, das áreas de piscina das áreas de restaurante, evitando ocupação concomitante dos dois espaços;
  • recomendação para que as pessoas evitem reuniões, eventos ou encontros em ambientes domiciliares, exceto quando envolverem habitantes de uma mesma residência.

O que está liberado:

  • eventos esportivos profissionais de futebol, com a presença restrita de público
  • aulas presenciais
  • eventos culturais em equipamentos públicos e privados
  • eventos sociais: 400 pessoas em locais abertos e 200 pessoas em locais fechados
  • eventos corporativos em ambientes abertos ou fechados: 600 pessoas
  • uso de espaços públicos e privados abertos, inclusive “arenhinhas”, para a prática de atividade física e esportiva individual ou coletiva, desde que evitadas aglomerações.
  • acesso às praias, desde que preservado o distanciamento social e evitadas aglomerações
  • shoppings, cinemas, supermercados, restaurantes;
  • barracas de praia
  • feiras livres, feira de artesanato da Av. Beira-Mar

Assista às notícias do Ceará no g1 em 1 Minuto:

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*