Carregando...

Bolsonaro cancela ida ao Senado e confirma distanciamento de Pacheco - Prisma - R7 Christina Lemos

O presidente Jair Bolsonaro cancelou o comparecimento ao evento que reúne esta manhã no Senado, em sessão solene, autoridades do Legislativo, Judiciário e convidados estrangeiros, com críticas veladas à iniciativa do presidente do Senado, Rodrigo Pachego (PSD/MG), que não compareceu ontem às comemorações do Sete de Setembro na Esplanada. “Ele quer um Sete de Setembro pra chamar de seu”, diz auxiliar próximo do presidente, em reserva.

O distanciamento entre os dois dirigentes políticos vem de mais de dois anos, período em que o parlamentar mineiro marcou posição divergente do chefe do Executivo e firmou sua autonomia, chegando a lançar-se pré-candidato à presidência.

A solenidade desta quinta, que marca no Legislativo a celebração dos 200 anos da Indepedência, é vista pelo Planalto e pela campanha a reeleição de Bolsonaro como situação de risco.  O temor é que se repita o constrangimento ocorrido na cerimônia de posse de Alexandre de Moraes na presidência do TSE, em que Bolsonaro foi exposto a discursos divergentes quanto ao processo de votação eletrônica. O próprio presidente teria caracterizado a ocasião como “armadilha”.

Ao contrário do ocorrido no TSE, o evento de hoje previa discurso de Bolsonaro, assim como o dos presidentes do Senado e Câmara, e o do presidente do STF, Luiz Fux, que se despede do cargo para dar lugar a Rosa Weber, que assume no dia 12. 

“O momento é de vibração absoluta”, diz o auxiliar palaciano, em referência ao sucesso das manifestações populares no Sete de Setembro, que levaram multidões a algumas das principais capitais do país e foram capitalizadas politicamente como apoio a Bolsonaro.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*