Carregando...

Conversa de Repórter

A batalha pra não dormir de estômago vazio - Prisma - R7 Conversa de Repórter

A fome continua atacando quem sempre teve fome, mas passou, de uns tempos pra cá, a assombrar quem tinha pouco, mas, ainda assim, conseguia se alimentar.

Isso a Record não mostra - Prisma - R7 Conversa de Repórter

Às vezes, pra pegar notranco, dá trabalho...

A porta e a janela - Prisma - R7 Conversa de Repórter

Não é preciso ter milhões na conta bancária pra se sentir realizado. O Elias não ficou rico. O valor dele não se media por cifrões. O valor dele era invisível aos olhos. 

Entre a vida e a morte - Prisma - R7 Conversa de Repórter

A vida é um sopro e, pra mim, confesso, isso é difícil de aceitar. Toda morte trágica me faz refletir e, de certa forma, me amedronta. 

Ver para crer  - Prisma - R7 Conversa de Repórter

Era impossível imaginar que alguém tivesse saído comvida daquele desastre. 

Só os meus olhos não bastariam - Prisma - R7 Conversa de Repórter

Faltavam menos de dois minutos pra eu entrar no ar. De repente, um assalto, a poucos metros de onde eu estava, mudou, absolutamente, tudo. 

Pequenas vitrines - Prisma - R7 Conversa de Repórter

O delegado me revelouque algumas crianças eram alugadas para servirem de isca. Ali, eu já me viaincrédulo. Só que a história, que já era absurda, ficava ainda pior cada vezque eu descobria um novo detalhe. 

De volta aos dias de luta - Prisma - R7 Conversa de Repórter

Voltar das férias me traz uma sensação de "Ano Novo". Sabe aquele sentimento detanque cheio e de novas expectativas quea gente tem todo réveillon? É basicamente isso.