Carregando...

Vídeo mostra discussão em que idosos agridem família estrangeira com ofensas racistas e socos - Cidades - R7 Diário Digital

Vídeo que circula pelas redes sociais mostra o momento em que casal de idosos ofende família estrangeira em supermercado atacadista, na região da Vila Industrial, de Dourados. Os autores teriam agredido um homem e seu filho, de seis anos, além de ter praticado injuria racial. O caso ocorreu na nesta quarta-feira, 3 de agosto, e as vítimas de racismo são um professor da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Sikiru Olaitan Balogun, de 48 anos, e a família nigeriana.

Nas imagens gravadas por um cliente do atacadista, é possível notar o idoso avançando para cima do professor com dois socos. Posteriormente, funcionário do supermercado chega e tenta apartar a briga. Após um tempo, os idosos seguem as compras como se nada tivesse acontecido enquanto as vítimas parecem explicar a situação ao trabalhador.

Em determinado momento, a idosa volta à discussão e mais pessoas parecem tentar auxiliar Sikiru a explicar a situação ao funcionário. Conforme informações do Dourados Informa, jovem, de 24 anos, apresentou-se na delegacia, afirmou ter presenciado o crime e prontificou-se como testemunha da família.

Clientes gravaram a discussão - (Vídeo: Divulgação)

Idosos agrediram criança - Informações do boletim de ocorrência apontam que a família deixou o filho, de seis anos, na fila do caixa cuidando de um carinho de compras que imaginava ser o seu e foi pesar as frutas. Ao retornar, a criança afirmou que havia sido agredido por uma mulher que disse que ele estava roubando o carrinho de compras dela.

O homem, então, foi até a senhora, de 62 anos, para perguntar o que havia acontecido, e esta afirmou que eles estavam roubando seu carrinho. Durante uma discussão ela e seu marido, de 61 anos, chamaram o pai da criança de ‘preto’ em tom ofensivo e o homem ainda desferiu um soco na vítima. Funcionários do mercado apresentaram vídeo que comprovam a versão da vítima, bem como testemunhas que estavam no local e que se dispuseram a depor.

Fiança - Os autores foram localizados no estacionamento do local e se deslocaram até a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário, Depac, de Dourados para o registro da ocorrência.

Ainda segundo as informações, a mulher disse à polícia que não bateu na criança, entretanto, retirou sua mão do carrinho, e disse que o fez pois já havia ocorrido isto antes, de ter o carrinho roubado por ‘esse tipo de pessoa’, se referindo a pessoas estrangeiras.

Diante dos fatos, a ocorrência foi registrada como vias de fato e injuria (se consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência).

Ainda, conforme o site de notícias, o idoso, identificado como Jaime, foi autuado em flagrante por injúria racial e “vias de fato”, mas o delegado de plantão estipulou fiança de um salário mínimo e ele informou que pagaria o valor para responder o processo em liberdade.

Crime - Injúria racial é um crime inserido no capítulo dos crimes contra a honra. Está previsto no parágrafo 3º do artigo 140 do Código Penal, que prevê uma forma qualificada para o crime de injúria, na qual a pena é maior e não se confunde com o crime de racismo, previsto na Lei 7716/1989. A penalidade para esse crime prevê detenção de 1 a 3 anos de prisão.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar