Carregando...

Páscoa: Arquidiocese de Brasília orienta fiéis a participarem de missas pela internet; veja horários

Missa de Páscoa, transmitida pela internet, na Catedral Metropolitana de Brasília — Foto: Arquidiocese de Brasília/Reprodução

Missa de Páscoa, transmitida pela internet, na Catedral Metropolitana de Brasília — Foto: Arquidiocese de Brasília/Reprodução

Com o avanço da pandemia de Covid-19 no Distrito Federal, a Arquidiocese de Brasília orienta os fiéis a participarem das missas e celebrações da Páscoa pela internet. As transmissões ocorrem a cada hora, desde as 10h30 deste domingo (4) e vão até as 18h.

A recomendação é assinada pelo arcebispo de Brasília Dom Paulo Cezar Costa. Na carta enviada às paróquias da capital, o religioso incentiva a transmissão online dos ritos sagrados, "para que os fiéis impedidos de estar presentes possam seguir as celebrações".

  • DF é a unidade da federação com maior aumento na média de mortes por Covid-19
  • Covid-19: Nunes Marques decide que estados e municípios não podem proibir cultos e missas

Apesar da orientação para que padres realizem transmissões virtuais das missas, algumas paróquias do DF, inclusive a Catedral Metropolitana, têm recebidos fiéis que optaram por participar dos cultos de forma presencial, com apenas 30% da capacidade dos locais.

"Em todas as celebrações presenciais, sejam observadas, rigorosamente, as normas referentes ao distanciamento social, de acordo com a capacidade do templo de acolher os fiéis", escreveu o arcebispo.

Um decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB) considera a atividade como essencial, portanto, as missas, cultos e outras atividades em templos religiosos estão permitidos na capital, sem restrição de horário. Os espaços devem cumprir, entretanto, as restrições impostas pelo toque de recolher, de 22h às 5h.

Cultos e missas, o que diz o STF

O ministro Nunes Marques, do STF — Foto: Adriano Machado/Reuters

O ministro Nunes Marques, do STF — Foto: Adriano Machado/Reuters

Neste sábado (4), o ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou em caráter liminar (provisório) que estados, municípios e o Distrito Federal não podem editar normas de combate à pandemia do novo coronavírus que proíbam completamente celebrações religiosas presenciais, como cultos e missas.

decisão individual do ministro, tomada na véspera deste domingo (5) de Páscoa, portanto, libera cultos e missas em todo o país. No DF, a prática já estava autorizada.

O ministro também determinou que governadores e prefeitos não podem exigir o cumprimento de normas já editadas que barrem a realização de missas, cultos e reuniões de quaisquer credos e religiões.

Procurador-Geral pede ao STF suspensão de decretos que proíbem missas e cultos no país

Procurador-Geral pede ao STF suspensão de decretos que proíbem missas e cultos no país

A liberação de cultos e missas no país, mediante medidas de prevenção, ocorre no momento mais crítico da pandemia, que se aproxima de 330 mil mortes por Covid-19, com média móvel acima de 3 mil óbitos por dia e falta de leitos de UTI em hospitais pelo país.

No DF, o total de óbitos chega a 6.235, e os infectados somam 348.687, segundo dados da Secretaria de Saúde (SES-DF), divulgados no sábado (3).

Tradição em casa

Com as restrições impostas pela pandemia, famílias da capital precisaram se adaptar. Na casa da professora Alessandra Guedes, no Gama, o domingo começou com a celebração transmitida pela internet. A família é evangélica e tem uma filha de 3 anos.

Olívia Guedes, de 3 anos, participa de celebração da Páscoa em casa, com a família, no Gama (DF) — Foto: Alessandra Guedes/Arquivo pessoal

Olívia Guedes, de 3 anos, participa de celebração da Páscoa em casa, com a família, no Gama (DF) — Foto: Alessandra Guedes/Arquivo pessoal

Após a celebração religiosa, Alessandra deixou a criatividade tomar conta e preparou uma surpresa para a pequena Olívia. A menina, que estava na casa dos avós, participou de uma "caça aos ovos de Páscoa" neste domingo (4).

"É a primeira vez que fizemos a brincadeira com os ovos. Como não tem outra criança e nem os primos para comemorar no momento, decidimos fazer isso para alegria dela", disse Alessandra ao G1.

"Embora o restante da família também more por perto, aqui no DF, por causa da pandemia, preferimos não nos encontrarmos."

VÍDEOS: Jornal Nacional analisa dados da pandemia no Brasil

193 vídeos

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar