Carregando...

GDF autoriza contratação de 150 brigadistas que vão atuar no combate a incêndios florestais

Incêndio na Área Alfa da Marinha do Brasil, em Santa Maria, no Distrito Federal — Foto: Corpo de Bombeiros do DF/Divulgação

Incêndio na Área Alfa da Marinha do Brasil, em Santa Maria, no Distrito Federal — Foto: Corpo de Bombeiros do DF/Divulgação

A Secretaria de Economia do Distrito Federal autorizou a contratação temporária de 150 brigadistas que vão atuar no combate a incêndios florestais. A portaria foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (8), mesmo dia em que a capital completa 30 dias de estiagem.

Além disso, a medida autoriza a contratação de outros 75, que ficarão em cadastro reserva. As vagas do processo seletivo são divididas da seguinte forma:

  • Supervisores de brigada (6)
  • Chefes de brigada (24)
  • Brigadistas florestais (120)

Os brigadistas vão atuar no combate a incêndios florestais nas unidades de conservação espalhadas pelo DF, entre elas 72 parques. A validade da contratação é de seis meses. Nesta época do ano, essas ocorrências costumam aumentar devido à seca na capital.

  • Ibaneis decreta estado de emergência ambiental por risco de queimadas no DF
  • Seca 2020: DF registra maior área queimada durante estiagem dos últimos nove anos

O G1 entrou em contato com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) para mais informações sobre prazos para a abertura do edital e as inscrições, além de detalhes sobre salários, mas aguardava um retorno até a publicação dessa reportagem. No ano passado, o cadastro foi aberto em junho, e a remuneração para supervisor chegava a R$ 3.344.

Emergência ambiental

Em fevereiro, o governador Ibaneis Rocha (MDB) decretou "estado de emergência ambiental" entre os meses de março a novembro deste ano. Com o decreto, os órgãos que integram o Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais, entre eles o Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e o Ibram "deverão adotar as medidas necessárias para prevenir e minimizar ocorrências e efeitos das queimadas" no Cerrado.

  • 'Cerrado é sinônimo de bem-estar e qualidade de vida', diz biólogo do DF

O decreto autoriza que essas instituições façam contratos emergenciais, ou seja, sem licitação. Os órgãos também têm autorização para reforçar o quadro de servidores e aumentar a jornada de trabalho, com pagamento de horas extras.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*