Carregando...

Homem suspeito de furtar fuzil em hotel no DF disse à polícia que pensou ser uma arma de brinquedo

Fuzil calibre 5.56x45mm furtado no DF — Foto: PMDF/Divulgação

Fuzil calibre 5.56x45mm furtado no DF — Foto: PMDF/Divulgação

Depois que um fuzil com alto poder de destruição e mais 30 cartuchos de munição foram furtados de dentro de um hotel na Asa Norte, em Brasília, na tarde de segunda-feira (13), o homem que levou o armamento para casa disse à polícia que agiu por pensar que se tratava de uma "arma de airsoft" – um esporte de simulação de combates militares.

O fuzil, calibre 5.56x45mm, pertence a um advogado de 42 anos que se hospedou na sexta-feira (10) em um hotel, na Asa Norte. O local recebe clientes, mas também possui "flats", onde há moradores que são donos dos quartos.

LEIA TAMBÉM:

  • DF tem maior número de registros de armas do país, aponta Anuário da Segurança Pública
  • Número de registros de armas de fogo para cidadãos comuns no DF cresce 87% em 2021

Após o aluguel, o homem viajou para Minas Gerais, deixando a arma no quarto em que estava hospedado. Quando voltou, na segunda-feira à tarde, o advogado encontrou um homem e duas mulheres desconhecidos dentro do quarto.

O fuzil e os cartuchos não estavam mais no local, e o caso foi parar na 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte, que investiga furto de arma de fogo. Câmeras de segurança mostram pelo menos 5 pessoas deixando a suíte (veja detalhes abaixo).

Na delegacia, o suspeito de furtar o fuzil disse que tinha as chaves do apartamento no hotel, por ser amigo do dono da suíte, no Setor Hoteleiro Norte, e que costuma usar o imóvel. Ele afirmou ter visto a arma dentro de um compartimento usado para guardar violão e pensou ser um armamento de brinquedo.

Em depoimento à Polícia Civil, o suspeito também disse que saiu para buscar roupas e cigarros, e resolveu levar o fuzil para a casa do pai, no Lago Sul, porque sabia que o amigo, o proprietário do "flat", não tinha armas.

De acordo com a polícia, ele não foi preso em flagrante porque se apresentou voluntariamente na delegacia. No entanto, poderá responder pelos crimes de furto e posse irregular de arma de uso restrito.

O advogado, dono da arma, tem registro como Colecionador, Atirador desportivo e Caçador (CAC), expedido pelo Exército. Flexibilizações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desde o início da gestão ampliaram o número e o calibre das armas que um CAC pode registrar em seu nome.

Câmeras de segurança

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

Imagens de câmeras de segurança do hotel registraram mulheres deixando o quarto, às 15h52 da tarde de segunda-feira. Primeiro, sai a mulher de vermelho, e no fundo da imagem, é possível ver um grupo de pessoas que parece discutir (veja foto acima).

Segundos depois, sai a mulher de branco, enquanto um homem de preto sai pelo outro lado do corredor. Em seguida, quem sai é o homem de branco, acompanhado por uma pessoa de gravata.

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

O dono da suíte foi chamado ao hotel, e ao ver as imagens, reconheceu o homem que furtou o fuzil. Ele que informou aos policiais o endereço do Lago Sul, onde a arma foi encontrada.

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

Imagem da câmera de segurança do hotel onde fuzil foi furtado — Foto: PCDF/Divulgação

Em nota, o hotel Mercure, onde ocorreu o furto, disse que "o apartamento foi disponibilizado para locação via plataforma digital independente pelo proprietário". O hotel também afirma que "cooperou com as autoridades policiais para o prosseguimento das investigações".

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar