Carregando...

Polícia investiga denúncias de assédio moral contra superintendente da Secretaria de Saúde do DF

Flávia Costa, superintendente da Região Centro-Sul da Secretaria de Saúde do DF — Foto: Reprodução

Flávia Costa, superintendente da Região Centro-Sul da Secretaria de Saúde do DF — Foto: Reprodução

A Polícia Civil investiga denúncias de assédio moral contra a superintendente da região centro-sul da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Flávia Costa. As acusações vão desde intimidação a exoneração de cargos (veja relatos abaixo).

A superintendência é responsável pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS), policlínicas e hospitais do Guará, Estrutural, SCIA, SIA, Candangolância, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I e II, e Park Way.

LEIA TAMBÉM:

  • Tribunal de Contas do DF investiga assédio moral contra idosa obrigada a trabalhar presencialmente em órgão público durante a pandemia
  • ASSÉDIO MORAL: funcionários do Santander dizem que cometiam irregularidades para cumprir metas

A reportagem tentou entrar em contato com Flávia por telefone, mas não obteve retorno até a última atualização desta publicação. A TV Globo também esteve no Hospital Regional do Guará, onde fica a sede da superintendência, mas a gestora estava cumprindo agenda fora da unidade.

Após as denúncias, alguns gestores e servidores reagiram às acusações e elaboraram um documento, reconhecendo a "dedicação, profissionalismo e esforço de Flávia Costa". Segundo o grupo, ela é uma gestora que lidera com "acessibilidade, abertura e respeito".

Sede da Superintendência da região centro-sul fica no Hospital Regional do Guará — Foto: TV Globo/Reprodução

Sede da Superintendência da região centro-sul fica no Hospital Regional do Guará — Foto: TV Globo/Reprodução

Denúncias

Há três meses, uma servidora com 48 anos de serviço na Secretaria de Saúde registrou um boletim de ocorrência contra a superintendente. O caso é investigado pela delegacia do Núcleo Bandeirante.

A técnica em enfermagem, de 60 anos, contou que foi ofendida e intimidada por Flávia Costa, durante o atendimento de um paciente na policlínica do Núcleo Bandeirante.

De acordo com os relatos, o paciente não tinha um número de prontuário, necessário para que o atendimento fosse realizado. Então, a servidora o encaminhou para o setor responsável pela informação.

Esse paciente teria ligado para o telefone pessoal da superintendente, que falou para a técnica em enfermagem: "Acolhe o paciente, se não você vai se ver comigo", afirma a servidora na denúncia.

Polícia investiga denúncias de assédio moral contra superintendente da Saúde no DF

Polícia investiga denúncias de assédio moral contra superintendente da Saúde no DF

Em áudios obtidos pela TV Globo, um servidor que prefere não se identificar conta que Flávia Costa se exalta e usa palavras de baixo calão em diversas reuniões com gestores.

"[Ela] quase nunca abre espaço de discussões nas reuniões, sendo apenas a opinião dela predominante. Muitos colegas já passaram por momentos constrangedores e por situações diversas de assédio moral", relata.

As ameaças de exoneração contra os funcionários também seriam constantes, segundo os relatos. "Diz que tem uma blindagem política muito forte, que nada pode tirá-la do cargo e isso deixa o nosso trabalho bem complicado", afirma o funcionário.

Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar