Carregando...

Cineastas do Novo México exigem mudanças após tragédia de "Rust"

Alguns trabalhadores do setor cinematográfico do Estado norte-americano do Novo México estão exigindo um treinamento de filmagem melhor e regulamentos de armas mais rigorosos desde que a diretora de fotografia Halyna Hutchins foi baleada fatalmente no set do faroeste "Rust".

Os gastos diretos do setor de cinema e televisão do Novo México dobraram desde 2015, assim como as horas que as equipes passam nos sets de filmagem, de acordo com dados estaduais.

  • Famosos pagam preço alto pelo discurso anti-Bolsonaro
  • Atriz de "The Walking Dead" vira super-heroína em "The Boys"
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Uma dúzia de produtores, gerentes de sets de filmagem, membros de equipes e atores entrevistados pela Reuters disse que o crescimento supera amplamente a oferta de trabalhadores treinados, colocando em risco a segurança dos sets de filmagem.

Pode chegar a um terço a quantidade de trabalhadores de departamentos de produções de grande orçamento sem experiência ou em seu primeiro filme, segundo um membro de equipe veterano e dois gerentes de sets de filmagem.

Produções de baixo orçamento como "Rust" têm dificuldade para encontrar trabalhadores treinados, já que empresas grandes como Netflix e Universal, ambas com polos de produção no Novo México, contratam equipes de até 300 pessoas, disseram dois produtores.

O Escritório de Cinema do Novo México, que divulga o Estado ao setor cinematográfico, não quis comentar. O gabinete da governadora Michelle Lujan Grisham não respondeu a um pedido de comentário.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*