Carregando...

Vítima de Armie Hammer acusa série documental de "explorar seu trauma"

Foto: Divulgação/Discovery+ / Pipoca Moderna

A mulher identificada como Effie, que está processando o ator Armie Hammer na Justiça por abuso sexual, enviou uma nota ao jornal Los Angeles Times em que critica a série documental "House of Hammer: Segredos de Família", sobre os escândalos da família do ator.

Ela acusou os responsável pela produção, Elli Hakami e Julian Hobbs, de "explorar seu trauma e sua dor", e que o material, ao invés de servir de alerta, é nocivo para ela e outras sobreviventes.

  • Mansão de Bruna Marquezine é vendida para Michel Teló por R$ 15 milhões
  • Fernando Grostein Andrade, Irmão de Luciano Huck, revela ter sido estuprado duas vezes
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Effie, que prefere não dar detalhes de sua identidade, foi a primeira mulher a vir a público com acusações contra Hammer, em 2021.

Na época, ela contou a história em seu Instagram, chamado "House of Effie", e acusou Hammer de tê-la estuprado e de manifestar tendências de psicopata, com preferências canibalescas. O post fez com que dezenas de outras mulheres também relatassem suas experiências traumáticas com o ator.

Logo depois surgiram acusações de que Hammer convenceu mulheres a participarem de práticas sexuais inseguras.

Uma das mulheres, Paige Lorenze, alega que Hammer marcou uma letra "A" em sua pele usando uma faca, e queria que ela removesse uma costela para que ele pudesse comer.

Courtney Vucekovich, que ficou com o ator por alguns meses do ano passado, disse que conviver com Hammer era como namorar Hannibal Lecter — o famoso personagem canibal de "O Silêncio dos Inocentes" e da série "Hannibal", e que ele também queria fazer churrasco com sua costela.

"É extremamente inapropriado explorar um momento tão trágico e vulnerável nas vidas das pessoas, sem preocupações com nosso processo de cura ou privacidade", declarou Effie em nota enviada ao jornal. Ela conta que chegou a ser abordada pelos produtores para que fosse incluída no documentário, mas recusou.

"A forma como eles estão explorando meu trauma é nojenta. Quando eu grito que 'não' e eles continuam, dizendo que não precisam da minha permissão, eles me lembram de Armie", declarou.

O documentário usa capturas de tela da conta de Effie no Instagram e até mesmo um vídeo publicado por ela no YouTube.

Effie também ficou chateada por sua advogada, Gloria Allred, não tê-la comunicado de que iria participar de "House of Hammer".

Mas a série documental não investiga apenas os abusos cometidos pelo ator, revelando vários segredos de sua família para demonstrar que as práticas envolvendo BDSM, suposto canibalismo e violência remontam a seu bisavô, Armand Hammer, um bilionário da indústria do petróleo.

A série, com três episódios, foi lançada na sexta-feira (2/9) na plataforma Discovery+.

Veja o trailer.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar