Carregando...

Just Jaeckin, diretor de "Emmanuelle", morre aos 82 anos

Foto: Divulgação/MUBI / Pipoca Moderna

O cineasta francês Just Jaeckin, que dirigiu o clássico erótico "Emmanuelle" (1974), faleceu na terça-feira (6/9) aos 82 anos na França, devido a uma longa doença.

"Emmanuelle" foi o primeiro filme de sua carreira. Com filmagens realizadas na Tailândia e em Seychelles, a obra teve um orçamento de US$ 500 mil e arrecadou mais US$ 100 milhões nas bilheterias.

  • Quem são os apoiadores de Bolsonaro mais rejeitados no meio artístico
  • Tenório da 1ª versão de 'Pantanal' detona a produção da novela
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Adaptação de um romance pseudobiográfico de 1959, escrito por Emmanuelle Arsan (pseudônimo de Marayat Rollet-Andriane), o filme transformou a modelo holandesa Sylvia Kristel no maior símbolo sexual da década de 1970 pela quantidade de aventuras que protagonizou, tanto com homens quanto com mulheres, durante férias na Tailândia. O repertório era um verdadeiro manual de sexo, começando pelo seleto "mile high club" (sexo em avião).

Pouco importava que Kristel não se parecesse em nada com a eurasiana de cabelos longos descrita no livro. Para o bem e para o mal, ela jamais deixou de ser mencionada novamente sem a lembrança de "Emmanuelle". Feito quando a atriz tinha 22 anos, o filme se tornou um fenômeno cultural. Foi visto por cerca de 650 milhões de pessoas em todo o mundo, apesar de ter sido proibido em diversos países

em razão de seu forte teor sexual.

Mesmo sendo uma produção francesa, "Emmanuelle" chegou a ser banido por seis meses no país. Mas, com a morte do presidente francês Georges Pompidou, um novo secretário de Estado da Cultura, Michel Guy, permitiu que o filme chegasse na íntegra aos cinemas, tornando-se a maior bilheteria francesa de todos os tempos, ficando em cartaz por 13 anos ininterruptos em Paris.

O produtor Yves Rousset-Rouard decidiu confiar o projeto a um jovem diretor e escolheu Just Jaeckin, fotógrafo renomado, mas sem experiência como cineasta. A repercussão do filme o marcou como um especialista em filmes do gênero. Ele levou para as telas outros clássicos eróticos, como as adaptações literárias de "A História de O" (1975), com Corinne Cléry, e "O Amante de Lady Chatterley" (1981), de novo com Sylvia Kristel, entre outros filmes.

Mas sua carreira foi curta, encerrada exatamente dez anos após "Emmanuelle", com a adaptação dos quadrinhos eróticos "As Aventuras de Gwendoline no Paraíso" (1984), na época em que o cinema erótico perdeu público para os vídeos de sexo explícito.

O fato de ter feito filmes adultos o impediu de se diversificar numa época bem mais intransigente que os dias atuais. Mesmo assim, ele dirigiu um clipe de Elton John, "Who Wears These Shoes?", em 1984.

Nos últimos anos, Just Jaeckin atuava como proprietário, ao lado da esposa, de uma galeria de arte em Paris onde os dois exibiam basicamente suas próprias esculturas e pinturas.

Ele manteve a amizade com Kristel ao longo dos anos. E lamentou muito quando ela morreu em 2012, vítima de câncer, aos 60 anos.

"Sylvia era uma mulher maravilhosa, muito pura, muito ingênua. Fazia jus a seu sobrenome, 'Kristel'. Ela foi engolida, como eu, pelo choque que 'Emmanuelle' causou. Isso a marcou, foi muito difícil para ela", ele disse na época.

Veja abaixo o trailer não explícito da "Emmanuelle" original.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*