Carregando...

Bolsonaro promete extra de R$ 200 no Auxílio Brasil para quem conseguir emprego

BRASÍLIA - Candidato à reeleição, o presidente Jair Bolsonaro (PL) prometeu um Auxílio Brasil de R$ 800 para beneficiários que conseguirem trabalho. Na propaganda eleitoral que foi ao ar na TV nesta quinta-feira, 8, a campanha de Bolsonaro falou em conceder um adicional de R$ 200 para quem se empregar.

Governo prorroga prazos para atualização de dados no CadÚnico, de onde saem os contemplados de programas sociais do governo federal, como o Auxílio Brasil
Governo prorroga prazos para atualização de dados no CadÚnico, de onde saem os contemplados de programas sociais do governo federal, como o Auxílio Brasil
Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil/ Estadão

Atualmente, o valor mensal do benefício está em R$ 600, mas o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) enviado pelo próprio governo Bolsonaro ao Congresso prevê recursos para um montante médio de R$ 405 no ano que vem.

  • Empresário é assassinado após ser sequestrado em São Paulo
  • Rock In Rio: saiba quais foram os cachês mais caros da história do festival
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

"Os mais de 20 milhões de brasileiros que recebem Auxílio Brasil de no mínimo R$ 600 agora receberão mais R$ 200 se começarem a trabalhar. Vai ser R$ 800 mais o salário do trabalho", diz a peça publicitária da campanha de Bolsonaro, sem informar como os gastos seriam financiados. "Quando o Bolsonaro dá os R$ 200 a mais, ele incentiva o trabalho. Isso é o oposto do que o PT fazia, porque para receber o antigo Bolsa Família as pessoas não podiam trabalhar. Lembra?", afirma outro trecho.

Propaganda eleitoral de Jair Bolsonaro (PL) prometeu um Auxílio Brasil de R$ 800 para beneficiários que conseguirem trabalho Foto: Felipe Rau/Estadão

A promessa de Bolsonaro de conceder R$ 200 a mais no Auxílio vem à tona após a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto para o Palácio do Planalto, passar a estudar a concessão de um bônus de R$ 150 para crianças de até seis anos, além de outros adicionais aos beneficiários do programa social, antigo Bolsa Família.

Por meio de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) aprovada em julho por deputados e senadores, o Palácio do Planalto conseguiu aumentar o Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600 às vésperas das eleições, mas a medida só vale até o final deste ano. O governo promete tornar permanente o novo valor, mas ainda não indicou de que forma vai fazer isso seguindo as regras fiscais, como o teto de gastos, que atrela o crescimento das despesas à inflação.

O aumento do Auxílio Brasil é considerado um dos principais trunfos de Bolsonaro na eleição, mas ainda não influenciou as pesquisas de intenção de voto. De acordo com os levantamentos, Lula lidera entre os que recebem o benefício. O candidato à reeleição também aposta no programa social para conquistar o voto de mulheres que são chefes de família, já que tem alta rejeição no eleitorado feminino.

Para bancar o Auxílio de R$ 600 a partir do ano que vem, Bolsonaro já sugeriu usar recursos de vendas de estatais e da taxação de lucros e dividendos, além da possibilidade de estender o estado de emergência no País caso a guerra na Ucrânia continue. No entanto, o que o governo precisa fazer é remanejar as verbas no Orçamento, ou seja, fazer cortes para bancar o benefício e cumprir o teto de gastos.

No PLOA de 2023 enviado pelo governo ao Congresso, o pagamento médio previsto para o Auxílio Brasil ficou em R$ 405, suficiente para atender 21,6 milhões de famílias. De acordo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o valor de R$ 600 não foi incluído na peça orçamentária para não ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*