Carregando...

Projeto torna leitura acessível para famílias brasileiras - Notícias - R7 Educação

O hábito de leitura entre brasileiros tem relação direta com a renda e a posição socioeconômica, que influenciam na capacidade de leitura e aprendizado. A constatação é baseada em dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em seu relatório Education at Glance, divulgado em setembro desse ano.

Como consequência, tem-se baixo índice de leitura e interpretação de texto. De acordo com o Education at Glance, entre os fatores que influenciam o desempenho na educação, o status socioeconômico tem o maior impacto nas habilidades de literacia dos jovens de 15 anos, mais do que seu gênero ou país de origem.

Introduzir a literatura logo na infância é uma atitude com ganhos a longo prazo, mas que ainda parece distante da realidade de muitas famílias. No entanto, iniciativas têm surgido para aproximar a leitura a todas as famílias, a exemplo do Historinha pra Contar.

A criatividade de uma mãe e de um pai para fazer a filha dormir resultou no nascimento do Historinha pra Contar,  que se tornou um projeto de vida de grandes proporções e, hoje, está no lar de muitas outras famílias. A turismóloga Vivian May e seu marido, o engenheiro Rodrigo Vaz, deram asas à imaginação nos momentos de contar histórias para a filha e alçaram voo pelo mundo literário.

Tudo começou no final de 2018, de forma despretensiosa. Imbuídos pelo sentimento de incentivar outras famílias a contarem histórias para seus filhos, nasceu o Historinha pra Contar, com um jeito inovador que proporciona uma experiência de leitura única, cheia de afeto e propósito. A ideia virou uma comunidade literária que conta com mais de 40 mil seguidores no Instagram. O sucesso foi tanto que o casal chegando resolveu lançar uma editora digital que evoluiu para publicações de livros impressos também.

Diante de tamanha aceitação das crianças e dos pais, Vivian e Rodrigo seguiram confiantes. “Somos apaixonados pela escrita, pela leitura e começamos o projeto no Instagram com a ideia de divulgar histórias infantis de maneira gratuita. Aos poucos, fomos produzindo livros, ilustrando e os distribuindo na internet com o intuito de difundir a leitura de maneira geral. Até que tomamos uma proporção tão grande que nos tornamos uma editora digital”, comemora Vivian. 

A fisioterapeuta Luarca Santos sentiu o efeito positivo do projeto na sua família. Ela é seguidora assídua do Historinha pra Contar e já tinha o hábito de cantar e ler para a filha desde o berço. Luarca agora passou a consumir com frequência as histórias disponibilizadas gratuitamente no Instagram do projeto. “Minha filha sempre gostou de livros. Mesmo quando Maria Laura ainda não sabia ler, ficava encantada com as figuras. Por isso, sempre comprava livros nas feiras literárias, onde o preço é mais em conta. Livro não é nada barato”, comenta Luarca.

A editora digital lançada pelo Historinha pra Contar busca dar a voz às pessoas que querem abordar temas relevantes e que não têm condição de arcar com os custos para lançar um livro em uma editora do mercado tradicional. Assim, a divulgação das histórias acontece em posts curtos no Instagram e as ilustrações dos livros são feitas pelas crianças e por ilustradores parceiros, que cobram valores mais acessíveis pelo serviço.

Em menos de três anos, entre publicações físicas e digitais, mais de 140 obras já foram lançadas. Todas com o diferencial de ampliar o acesso à leitura de forma gratuita, fomentar a produção de novos títulos e gerar renda para escritores, ilustradores e todos os outros atores envolvidos no processo.  “Estamos conectando pais e filhos, alunos e professores, leitor e livro através de um projeto lúdico e divertido, onde a imaginação ganha protagonismo a cada nova história e um novo mundo repleto de possibilidades se abre”, comemoram os idealizadores.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*