Carregando...

Atlético-MG bate Atlético-GO e encerra jejum de 4 jogos sem ganhar no Brasileiro

O Atlético-MG se recuperou no Campeonato Brasileiro. Após quatro jogos sem ganhar na competição, superou o Atlético-GO por 2 a 0, na Arena Independência, neste sábado (14), em partida válida pela sexta rodada. Hulk definiu o triunfo na etapa final, após o time abrir o placar no primeiro tempo graças a um gol contra de Marlon Freitas.

O resultado leva o Atlético-MG aos 12 pontos, provisoriamente na vice-liderança do Brasileirão, só atrás do Corinthians. O time, porém, deve perder algumas posições na sequência desta rodada e na disputa da sétima, pela qual já atuou. Ainda assim, o triunfo deve dar tranquilidade para os próximos compromissos. Um cenário oposto ao do Atlético-GO, que ainda não venceu no torneio e está com apenas 3 pontos, em penúltimo lugar.

Mas o duelo provocou sentimentos opostos aos dois principais atacantes do Galo. Afinal, se Hulk pôde comemorar o 16º gol marcado em 18 jogos nesta temporada, Keno foi às lágrimas após sofrer mais uma lesão.

Como foi o jogo

Para o confronto no Independência, a novidade na formação do Atlético-MG foi o retorno do atacante Hulk, livre de suspensão. Já o Atlético-GO teve duas alterações na sua escalação: as entradas do atacante Léo Pereira e do volante Edson Fernando para reforçar a marcação. Mas acabou sendo insuficiente para evitar o bom primeiro tempo do Galo.

Os primeiros 45 minutos foram praticamente jogados no campo de defesa do Atlético-GO, embora a equipe visitante até tenha assustado em sua primeira ação ofensiva. E, mesmo retrancado, o time goiano deu um grande auxílio ao adversário. Afinal, aos 13 minutos, Keno cobrou escanteio, Nathan Silva desviou na primeira trave e Marlon Freitas mandou a bola contra o próprio gol.

Naquele momento, o Atlético-MG já ocupava o campo de ataque desde o apito inicial, adiantando a marcação para sufocar o adversário. E poderia ter ampliado aos 17, quando Hayner cortou chute perigoso de Keno em jogada ensaiada de escanteio. Hayner evitaria outro gol aos 44, quando Keno avançou em velocidade em contra-ataque e tentou o passe para Hulk. Porém, no hiato entre as duas intervenções do lateral-direito, o Atlético-MG pouco finalizou, tanto que sua única outra chegada perigosa foi aos 36 minutos, quando Ronaldo fez boa defesa em disparo de Jair.

A etapa final começou de modo bem diferente. E o Atlético-MG teve uma baixa logo no início, quando perdeu Keno, com lesão aparentemente na coxa direita, o que o levou a chorar depois de ser substituído. Além disso, não repetiu o ritmo e a intensidade da metade inicial do jogo, também não tendo o mesmo controle da posse de bola.

O confronto também ficou mais travado, com algumas entradas mais ríspidas. E o Atlético-GO tentava atacar mais. Mas o Galo tratou de matar o duelo, voltando a acelerar o ritmo após os 20 minutos. Teve uma chance clara com Hulk, em jogada individual, aos 25 minutos, e contou com mais um gol do seu artilheiro, aos 27. Nacho recebeu passe do atacante e chutou cruzado, mas em cima de Ronaldo. No rebote, Hulk bateu no cantinho: 2 a 0 para o Atlético-MG.

A partir daí, o jogo voltou para a toada do seu início, com domínio do Galo, que teve chances para marcar pela terceira vez, especialmente em uma cobrança de falta de Hulk, aos 36 minutos. O gol não saiu, mas o triunfo por 2 a 0 foi suficiente para trazer alívio e segurança ao elenco e ao técnico Antonio Mohamed, além de esperança de encerrar a instabilidade neste começo do Brasileirão.

Agenda

No próximo meio de semana, os times terão compromissos por torneios continentais. Na terça-feira, o Atletico-GO recebe o chileno Antofagasta pela Copa Sul-Americana, no Antonio Accioly. Na quinta, também como mandante, mas no Mineirão, o Atlético-MG terá pela frente o equatoriano Independiente del Valle, pela Libertadores.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*