Carregando...

Ceni diz que não queria voltar a trabalhar esse ano: "Abri uma exceção ao São Paulo"

Rogério Ceni abriu o jogo nesta quinta-feira, após o empate em 1 a 1 com o Ceará, no Morumbi. Em sua primeira coletiva nesta segunda passagem como treinador do São Paulo, o ídolo do clube revelou que não estava em seus planos voltar à ativa em 2021, mas acabou reconsiderando pelo fato de se tratar do clube do qual é ídolo.

  • Ceni aceita proposta e volta ao São Paulo após 4 anos
  • Organizada detona saída de Crespo e cobra "perdão" de Ceni
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

"Abri uma exceção ao São Paulo porque eu considero. Fui muito bem tratado e não imagino que seria diferente de alguém que deixou a vida toda aqui, durante 1237 jogos, com tantas conquistas. Não queria deixar a oportunidade passar e quero ajudar o clube da melhor maneira possível, com todas as dificuldades que ele enfrenta. Vamos tentar fazer um bom final de ano para que em 2022, dentro das possiblidades, seja melhor", disse Rogério Ceni.

Horas após a demissão do técnico Hernán Crespo, Rogério Ceni aceitou o convite para retornar ao São Paulo e já comandou um treinamento à noite, no estádio do Morumbi. Nesta quinta, ele trabalhou com a equipe novamente, focando nas bolas paradas, e conseguiu transformar um time pouco criativo na parte ofensiva em outro que, pelo menos contra o Ceará, ameaçou diversas vezes ao longo dos 90 minutos.

"Acho que o São Paulo é um time que tenta ser propositivo, nem sempre consegue. Tentamos dentro das características que o time já tem, com os mesmos jogadores que o Crespo trabalhava, com um posicionamento diferente. O que nos propusemos a fazer, conseguimos: ter a bola, finalizar bastante. Uma pena a gente não ter conseguido a vitória, mas [a mudança de postura] está inserida na qualidade dos atletas que aqui já estão", prosseguiu.

O bom desempenho não foi suficiente para acabar com o jejum de vitórias, que agora foi ampliado para seis jogos, mas ao menos dá esperanças de dias melhores pela frente. Resta saber se a atuação contra o Ceará foi o início de uma mudança ou apenas mais um dos lampejos presentes na reta final da trajetória de Hernán Crespo no São Paulo.

"Eu pretendo implantar um jeito de jogar de maneira que eu possa ter substitutos para fazer trocas no jogo, mesmo não sendo o sistema que eu mais goste. As características dos jogadores são diferentes das que eu tinha no Fortaleza ou no Flamengo. Vamos fazer um time com as possibilidades que temos e de acordo também com as características do adversário", concluiu.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*