Carregando...

Calegari celebra vitória do Fluminense, comenta apoio da torcida e atuação no meio: 'Conheço o espaço'

Fundamental para a vitória do Fluminense sobre o Internacional na última quarta, no Maracanã, Calegari viveu uma noite diferente. Na posição de origem, como volante, o jovem foi convocado por Marcão para suprir os desfalques de André, Nonato e Martinelli. O Moleque de Xerém destacou que o apoio dos torcedores foi importante para o resultado, e revelou que a ideia de jogar as camisas para a arquibancada no fim do duelo partiu de Fred.

Calegari projetou sequência do Fluminense no final do Brasileiro (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Calegari projetou sequência do Fluminense no final do Brasileiro (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Foto: Lance!

- Eu falei antes do jogo que a torcida era de extrema importância para a gente, independentemente de a gente estar vencendo, empatando ou perdendo. E a gente decidiu no campo jogar as camisas, o Fred falou com a gente e todo mundo concordou, porque o apoio da torcida foi sem igual, nos ajudou muito nessa vitória, como um 12º jogador dentro de campo. Um sentimento inexplicável. E também quando eu saí do jogo, a torcida cantando meu nome, eu sempre sonhei com isso. Agora é continuar trabalhando para ter isso mais vezes - disse o jogador.

  • Fluminense x Internacional: onde assistir, desfalques e prováveis times
  • Fluminense vence América-MG e mantém vivo sonho da Liberta
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

O lateral comentou sobre o desafio de entrar no lugar dos volantes, que vem fazendo atuações de destaque durante a temporada. Contudo, ele afirmou que a base de Xerém fez a diferença para a atuação de destaque durante os 90 minutos no Maracanã.

- Foi uma responsabilidade muito grande substituir o André e o Martinelli, que vêm jogando muito bem. O Marcão me chamou ontem (terça), perguntou se eu estava pronto e disse que confiava em mim. Eu disse que sim, que já havia jogado de volante, conheço o espaço. Treinamos e eu consegui relembrar os movimentos. E graças a Deus deu tudo certo.

Porém, mesmo lembrando do estilo de jogo pelo meio, o atleta contou que sentiu a diferença do setor para a lateral. Segundo o camisa 31, a adaptação aconteceu durante os 90 minutos.

- No começo eu senti um pouco, foi como uma novidade fisicamente, pois no meio-campo há uma mais troca de direção e movimentos curtos, diferentemente da lateral, em que os movimentos são mais longos. Mas ao longo do jogo eu fui me adaptando, adquirindo ritmo e consegui chegar até os 45 fazendo o meu máximo para conseguirmos a vitória - disse.

O jogador ainda aproveitou para projetar o próximo duelo, em que o Fluminense encara o Atlético-MG, que pode conquistar o Brasileiro em casa. Apesar do confronto difícil, o Calegari não se intimida e afirma que o time vai entregar tudo que pode nas rodadas fora de casa para alcançar o G6.

- Nos últimos jogos a gente vem vencendo dentro de casa e muito por conta do apoio da torcida. Mas a gente não vem tão bem assim fora de casa. Só que se é uma final para o Atlético-MG, também é uma final para a gente. A gente está buscando uma vaga direta na Libertadores e a gente vai entrar para ganhar, para buscar nossos pontos. E contra o Bahia também. Temos totais condições de sair com as vitórias para conquistarmos nosso objetivo.

Neste domingo, o Fluminense enfrenta o Atlético-MG, às 16h, no Mineirão, em jogo válido pela 36ª rodada do Brasileiro. A partida será transmitida pelo Premiere e Tempo Real do LANCE!


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*