Carregando...

Rodrigo Caetano comenta tratamento da arbitragem e STJD com o Galo: "absurdo"

Em coletiva realizada pelo canal GaloTV, o diretor executivo Rodrigo Caetano comentou sobre o tratamento que a arbitragem brasileira tem tido com o Atlético-MG, e classificou as decisões dos últimos jogos, assim como a denúncia do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em relação ao jogador Hulk, como "absurdos".

Caetano comentou sobre o lance de pênalti anulado no jogo contra o Bragantino (Pedro Souza/Atlético-MG)
Caetano comentou sobre o lance de pênalti anulado no jogo contra o Bragantino (Pedro Souza/Atlético-MG)
Foto: Lance!

Rodrigo Caetano citou as redes sociais como um grande peso para as decisões que vêm sendo tomadas por parte de arbitragens e o STJD contra o Atlético-MG.

  • Filha de Hulk tem carrinho de bebê avaliado em R$ 22 mil
  • Atlético-MG anuncia camisa vencedora do Manto da Massa 2022
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

- Estamos em um país em que a questão da manifestação nas redes sociais tem um peso enorme. Manifestações de outros clubes no ano passado, de forma até exagerada, querendo diminuir a qualidade do trabalho e o mérito da conquista do Galo através desses detalhes. Não é por acaso o absurdo do Hulk ser denunciado no STJD - disse o diretor.

No jogo contra o Red Bull Bragantino na última quarta-feira, o Atlético passou por mais um lance polêmico com a arbitragem. O árbitro de campo marcou pênalti, após toque de Léo Ortiz, mas o lance foi anulado pelo VAR, que alegou posição irregular de Guilherme Arana, gerando muita reclamação alvinegra.

O diretor executivo do Galo classificou o lance como "absurdo" e "inacreditável", dizendo que a jogada certamente mudaria a história do jogo. "São fatos recorrentes que nos deixam realmente preocupados em relação ao futuro", exclamou o diretor executivo.

Rodrigo Caetano falou muito sobre as "narrativas" criadas em torno do Atlético-MG, especialmente em relação à marcação de pênaltis a favor do clube. O diretor acredita que esses elementos influenciam a arbitragem a atuar de forma unilateral em jogos do Galo.

"Se o reflexo do que nós estamos sofrendo agora é por conta das narrativas, se precisar nós vamos falar todos os dias aqui. Para que isso ecoe para fora do nosso estado", expressou Rodrigo.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*