Carregando...

LCR vê dissabor de Márquez, aguarda decisão da Honda por Nakagami e negocia com Rins

Álex Márquez parece estar com pé fora da LCR Honda
Álex Márquez parece estar com pé fora da LCR Honda
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

DO DOMÍNIO DE MARC MÁRQUEZ AO ZERO: A HONDA DE PONTA CABEÇA NA ALEMANHA

Lucio Cecchinello evitou cravar, mas deu pistas sobre a futura composição da LCR Honda na temporada 2023 da MotoGP. Em entrevistas a diferentes veículos de imprensa, o ex-piloto sinalizou para a chegada de Álex Rins e indicou que Álex Márquez está mesmo de saída.

  • Acosta fratura fêmur em acidente de motocross e fica fora do GP da Holanda na Moto2
  • Viñales minimiza abandono e vê GP da Alemanha como "melhor corrida do ano"
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Equipe satélite da Honda, Cecchinello confirmou ao serviço de streaming oficial da MotoGP que ainda aguarda uma decisão da HCR em relação ao futuro de Takaaki Nakagami. O japonês é contratado diretamente pela Honda, mas nas últimas semanas inúmeros rumores apontam para uma substituição por Ai Ogura, atual vice-líder da Moto2.

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP

Álex Rins é uma das opções para a LCR Honda em 2023 (Foto: Suzuki)

PROGRAMAÇÃO DA TV

"A situação do mercado de pilotos é bem sabida. A realidade é que, junto com a Honda, estamos considerando todas as opções. Ainda existem muitas opções", apontou Lucio. "Álex Márquez é uma opção. Álex Rins é uma opção. Estamos também esperando a decisão da Honda em relação ao futuro de Nakagami e acho que a decisão será tomada depois do GP da Holanda", contou.

Falando ao braço espanhol da revista Autosport, Cecchinello foi mais transparente e sinalizou para a saída de Álex Márquez. Titular da equipe desde 2021, depois de ser rebaixado da equipe de fábrica depois de só uma temporada — e antes mesmo da estreia —, o irmão de Marc está longe dos pódios desde 2020 e não parece se entender com a atual RC213V.

"Nós entendemos perfeitamente que Álex está achando mais e mais difícil ficar em uma moto que, infelizmente, não é tão competitiva quanto ele merece pelo trabalho duro e a dedicação dele", disse Cecchinello. "Vamos continuar dando a Álex todo o melhor que pudermos até o final, mas é difícil para ele encontrar a motivação se vê que não tem acesso para fazer bons resultados", seguiu.

De acordo com a imprensa espanhola, o caminho do caçula dos Márquez é a Gresini, que vai ficar com uma vaga aberta com a saída de Enea Bastianini. O #23 é um dos candidatos ao time de fábrica da Ducati, mas, se não acabar ao lado de Francesco Bagnaia, deve assumir a vaga de Jorge Martín na Pramac, com o espanhol promovido à estrutura oficial.

O dono da LCR confirmou, ainda, que Álex Rins é uma opção para a equipe monegasca e que espera definir a composição do time após a corrida deste fim de semana. O espanhol está no mercado por causa da saída da Suzuki da MotoGP, já que caminhava para renovar o contrato com a marca de Hamamatsu.

"Falamos com o agente de Rins e nos entendemos em muitas coisas. Espero que possamos nos encontrar outra vez neste fim de semana aqui em Assen e progredir mais. Gostaria de fechar antes da pausa de inverno, já que ela é muito longa neste ano", comentou.

O segundo treino para o GP da Holanda de MotoGP, em Assen, acontece nesta sexta-feira, às 9h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2.

MILLER MANTÉM STATUS, MAS DÁ PASSO ATRÁS COM IDA PARA KTM NA MOTOGP

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*