Carregando...

Sainz diz que "acreditou até o fim" em vitória na Inglaterra e destaca duelo com Hamilton

Carlos Sainz
Carlos Sainz
Foto: AFP / Grande Prêmio

Demorou 150 corridas, mas enfim veio a tão sonhada e perseguida vitória Carlos Sainz na Fórmula 1, e o roteiro do GP da Inglaterra deste domingo (3) foi regado a tensão e grandes batalhas até a última curva. O piloto celebrou bastante ainda no carro e era só sorrisos no pódio enrolado à bandeira da Espanha.

Sainz precisou lutar bastante para terminar a corrida no lugar mais alto do pódio. Largando na pole-position, perdeu a ponta para Max Verstappen na primeira curva, mas o fortíssimo acidente envolvendo vários carros logo atrás provocou bandeira vermelha. Pelo regulamento, houve um novo procedimento de largada com os carros nas posições originais, e dessa vez o espanhol vendeu caro a ultrapassagem, não dando chances para o holandês da Red Bull.

  • Em novo trecho de entrevista, Piquet é homofóbico ao falar de Hamilton
  • Piquet pede desculpa a Hamilton, mas alega "tradução incorreta"
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Carlos Sainz (Foto: AFP)

"Não sei o que dizer, é incrível", disse Sainz ao final da corrida. "A primeira vitória depois de 150 corridas, e com a Ferrari em Silverstone. Não tenho mas nada a pedir. É um dia muito especial, um dia que jamais esquecerei. É um fim de semana muito especial, no geral", acrescentou o piloto.

Sainz ainda travou uma boa disputa contra o companheiro de equipe, Charles Leclerc, e depois Lewis Hamilton, da Mercedes. Mas o safety-car na parte final provocado por Esteban Ocon abriu ao espanhol a chance de arriscar os compostos macios e partir para o tudo ou nada, e a estratégia foi um tiro certeiro. Com os pneus de faixa vermelha, Sainz deixou Leclerc para trás e reassumiu a primeira posição.

"Lewis estava na briga hoje, mas conseguimos segurá-lo", disse o piloto, explicando em seguida que também teve problemas com o equilíbrio do carro, principalmente no primeiro stint, com os compostos médios. "Max nos obrigou a forçar muito em alta velocidade."

"Mesmo com tudo isso, continuei acreditando que ainda poderia vencer. Então, de repente, o safety-car me deu a oportunidade de voltar ao jogo. Já pode imaginar os nervos ficando controlados depois da vitória", concluiu Sainz.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*