Carregando...

Romário critica ex-treinadores da Seleção Brasileira por cortes em Olímpiadas e Copas

Romário marcou presença no segundo episódio do novo canal do streamer Casimiro Miguel, intitulado "Que Papinho!", no YouTube. O Tetracampeão criticou cortes e posturas dos ex-técnicos da Seleção Brasileira, Zagallo, Luxemburgo e Felipão.

Romário falando em entrevista (Divulgação/Que Papinho)
Romário falando em entrevista (Divulgação/Que Papinho)
Foto: Lance!

Por conta dos comandantes das seleções, o Baixinho ficou fora dos Jogos Olímpicos de Atlanta, após ter conquistado o Mundial de 1994. Além disso, o goleador também esteve ausente das Copas de 98 e 2002, e das Olímpiadas de Sidney, em 2000. Decisões que irritaram o ex-jogador.

  • Campeões Olímpicos destacam a importância da Vela de Oceano na 49ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela
  • Um ano após deserção olímpica, velocista bielorrussa sonha com Jogos de Paris 2024
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

'A minha relação com eles, principalmente com Zagallo, era tão ruim que, dois anos depois, não tinha como ele não me levar para as Olímpiadas. Ele não me levou. O Zagallo me tirou uma Olimpíada e uma Copa, o Vanderlei me tirou uma Olimpíada e o Felipão de outra Copa. Mágoa, não. Eu poderia estar lá', contou o ex-jogador.

Apesar das reclamações, Romário já apresentava uma relação conturbada com a comissão técnica da Seleção Brasileira desde 1993, após partida em que o Brasil confirmou vaga para o Mundial do ano seguinte, com uma vitória sobre a seleção do Uruguai. Durante entrevista, o atacante contou que, apesar de atuar no futebol europeu, só foi lembrado quando a Seleção Brasileira corria risco de ficar fora da Copa do Mundo.

No entanto, após a convocação, o artilheiro brilhou contra os uruguaios em 1993 e não poupou críticas a Carlos Alberto Parreira e sua comissão.

'A minha vontade era de mandar todo mundo tomar no c...(após a partida contra o Uruguai). Ia falar isso no vestiário, mas como fiquei preso lá no campo, eu entrei no vestiário 1h30 depois do jogo e só tinha lá a comissão técnica me esperando para dar um abraço. Eu estava tão feliz que passou batido. Esses caras iam ouvir algumas coisas. Me arrependo de não ter falado, mas valeu a pena não ter falado', completou o Tetracampeão Mundial.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar