Carregando...

Flamengo será julgado por eventos em jogo contra o Atlético-MG; possíveis penas vão de multas a interdição do Maracanã

Por conta de eventos dentro e fora do Maracanã na partida contra o Atlético-MG, em 13 de julho pela Copa do Brasil, o Flamengo será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva na quarta, dia 10 de agosto. Após denúncia da Procuradoria, o clube será julgado por arremesso de objetos no campo, uso de sinalizadores, atraso na partida, invasão do Maracanã e pelo apedrejamento do ônibus rival.

Jogo contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil será alvo do STJD (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Jogo contra o Atlético-MG, pela Copa do Brasil será alvo do STJD (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
Foto: Lance!

Nos artigos em que o Flamengo foi denunciado, as penas previstas vão de multas de até R$ 100 mil, perda de mando de campo até interdição do estádio - veja os detalhes abaixo.

  • Alexis Sánchez rescinde contrato com a Inter de Milão e acerta com novo time
  • Flamengo confirma valores da contratação do goleiro Santos e da venda de Garoto do Ninho
  • As notícias do dia você acompanha na capa do Terra; confira!

Na ocasião, o time de Dorival Júnior venceu o Galo por 2 a 0 e avançou para as quartas de final da Copa do Brasil. O Fla, inclusive, já disputou o jogo de ida contra o Athletico - empate sem gols no Maracanã - e decidirá uma vaga nas semis em Curitiba, no dia 16.

O Flamengo foi denunciado pelos arremessos de objetos no campo, infração descrita no artigo 213, inciso III, que prevê multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. Pelo uso de fumaça que gerou o atraso no início da partida e uso de sinalizadores em diversos momentos da partida, o clube responderá por desordem descrita no artigo 213, inciso I, que pode render multa de até R$ 100 mil e pedido ainda da perda de mando de campo prevista no parágrafo 1º.

A desordem no entorno do estádio com invasão de alguns torcedores e o apedrejamento do ônibus do Atlético/MG foi destacada pela Procuradoria pelo descumprimento dos artigos 13 e 17 do estatuto do torcedor e dos artigos 7, 67-A e 68 do RGC. O descumprimento de estatuto e do RGC geraram denúncia no artigo 191, incisos I e III.

Além disso, a Procuradoria enquadrou o clube carioca por não fornecer infraestrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para realização do evento (artigo 211 do CBJD), bem como deixou de tomar as providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto (artigo 213, inciso I). Os três artigos possuem pena pecuniária de até R$ 100 mil, cada, enquanto o artigo 211 ainda prevê a interdição do estádio, quando necessário.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar