Carregando...

Sedação ou calmante? Entenda a diferença e qual a melhor opção na hora de fazer um procedimento - Cidades - R7 Folha Vitória

Foto: Reprodução/Pexels

Não é raro que pessoas que estejam prestes a realizar determinados procedimentos clínicos, como exames, implantes dentários, endoscopias, implantes hormonais e tantos outros se sintam ansiosas antes da realização do procedimento ou com medo e vontade de desistir. 

Isso acontece simplesmente porque somos seres humanos e o medo da dor, do desconhecido, do desamparo, da dependência e da mudança, nos colocam em situação de alerta.

Tanto a anestesia, quanto a sedação, estão relacionadas e podem ser usadas durante procedimentos médicos, mas são utilizadas para diferentes objetivos. 

De acordo com o médico anestesista da Hypnos, Pedro Dettogni a anestesia reduz a sensibilidade à dor e pode tornar as pessoas até mesmo insensíveis a ela, mas tudo vai depender da opção anestésica indicada ou procedimento que será realizado. Já a sedação, é responsável por deixar a pessoa mais relaxada e pode até fazer o paciente adormecer durante um procedimento, proporcionando o efeito de acalmá-lo.

“Não é indicado que pacientes utilizem calmantes por conta própria antes da realização de procedimentos. Esse medicamento pode retardar a recuperação do paciente no pós-operatório. O ideal é relatar essa ansiedade na consulta com o anestesista, aquela realizada antes do procedimento, e dependendo do tipo de cirurgia, o médico pode prescrever alguma sedação para anteceder o momento da anestesia”, disse ele.

É comum que os dois procedimentos, tanto a anestesia, como a sedação, sejam combinadas em um mesmo procedimento. Enquanto a sedação é utilizada para que o paciente fique confortável ou adormeça completamente, a anestesia é realizada para que ele não sinta dor.

“No caso de pessoas ansiosas, que relatam esse problema na consulta que antecede aos procedimentos e cirurgias e que, por este motivo, tem maior probabilidade de desenvolver ansiedade e estresse, a sedação pode ser usada para deixá-la mais relaxada e pode ser prescrita pelo anestesista”, explica Dettogni. 

O anestesista ainda disse que muitos sedativos também contribuem para a perda de memória relacionada àquele momento, confundindo as memórias do procedimento para o paciente, justamente para que ele não se lembre de dores, ou desconfortos, o que torna os procedimentos mais humanizados.

Pacientes que tomam sedativos podem se sentir mais calmos. Dependendo do nível de sedação, os pacientes podem participar do procedimento e responder, ou podem ficar, em grande parte, insensíveis e até dormir durante todo o procedimento.

Leia também:

>> Varíola dos macacos: 6 perguntas e respostas sobre a doença


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar