Carregando...

Médicos são enganados em golpe dos precatórios no ES - Cidades - R7 Folha Vitória

Foto: Reprodução TV Vitória

Um golpe contra médicos tem se intensificado e preocupado a polícia no Espírito Santo. Criminosos se passam por advogados de processos de médicos que pedem na Justiça o pagamento de precatórios, que são dívidas judiciais do poder público. Os criminosos pedem uma transferência por Pix aos médicos e, em troca, prometem que o valor dos precatórios será depositado. 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de notícias!

“Se pede pagamento fornecendo a chave Pix é certeza que se trata de uma cilada. Nenhum advogado deve pedir esse tipo de pagamento, caso um processo tenha sido ganho na Justiça”, alerta o diretor do Sindicato dos Advogados, Ben-Hur Farina.

Foto: Reprodução TV Vitória O diretor do Sindicato dos Advogados, Ben-Hur Farina, alerta que advogados não pedem pagamento de honorários via Pix em causas já ganhas na Justiça

O Sindicato dos Médicos (Simes) recebeu, nas últimas semanas, ao menos 20 denúncias de profissionais vítimas dos estelionatários. Quatro caíram no golpe.

“Temos relatos de um médico no interior do Estado que chegou a depositar R$ 86 mil para os golpistas. Nós cobramos da polícia mais rigor nas investigações porque este golpe não é de hoje, acontece há mais de cinco anos”, afirma o advogado do Sindicato dos Médicos, Luiz Télvio Valim.

Estelionatários buscam informações no Tribunal de Justiça

As mensagens, com o nome completo e número do processo, são utilizadas pelos criminosos para dar credibilidade ao golpe. Prometem que, após um depósito, os médicos iriam receber valores pedidos na Justiça.

"Basta que esses estelionatários acessem os processos, que são públicos, nos sites do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) e do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro. De posse dessas informações, eles escolhem as vítimas", explica Farina. 

Vinte denúncias foram feitas formalmente ao Sindicato dos Médicos do Espírito Santo. Cerca de 20% das vítimas, caíram no golpe.

"As vítimas são pessoas qualificadas, com informação. Mas como estão na expectativa de receberem o valor dos precatórios após tantos anos, essas vítimas se empolgam e acabam caindo", descreve.

Os criminosos se passam por advogados, que dão a entender que têm conhecimento das causas.

Foto: Reprodução TV Vitória O advogado do Sindicato dos Médicos, Luiz Télvio Valim, relatou que um médico no interior do Espírito Santo perdeu R$ 86 mil

"As vítimas ligavam dizendo que era eu que estava entrando em contato com elas, comunicando a eles que havia um valor a ser recebido. Ou seja, se passavam por mim. Falavam que era para depositar uma certa quantia na conta bancária de uma terceira pessoa para ter acesso aos valores dos precatórios", descreve o advogado Valim. 

LEIA TAMBÉM: Caso de advogada morta por ex-noivo em 2017 na Serra vai a júri popular

O nível de sofisticação do golpe faz com que a polícia não descarte a possibilidade de advogados integrarem a organização criminosa. Um tipo de estelionato que não é recente. Há relatos de casos semelhantes, que aconteceram há cinco anos.

Somente num inquérito instaurado em 2020, há uma organização criminosa sendo investigação no Ceará, que atua em todo o Brasil, incluindo no Espírito Santo.

"Esses estelionatários são extremamente sofisticados, organizados. Falam bem e se expressam bem. Enviam mensagens por aplicativos, com texto impecável, sem aqueles erros grosseiros de ortografia de quadrilhas comuns nesse tipo de golpe", aponta o delegado Douglas Vieira. 

O clínico geral Ismael Barbosa Ximenes recebeu uma mensagem, mas percebeu imediatamente que era um golpe.  "Havia algo errado quando olhei o prefixo do telefone. Não era o 027, que é do Espírito Santo", ressaltou. 

Em relação aos casos citados na reportagem, até o momento, ninguém foi preso. A polícia do Espírito Santo afirma que está em contato com autoridades de outros Estados.

Com informações do repórter Lucas Pisa, da TV Vitória/Record TV


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*

Últimas notícias








Calendar