Carregando...

OAB-GO pede indiciamento de influencer por homofobia após dizer em vídeo que vaga para autista parecia de 'viado'

Maquiadora faz comentário homofóbico sobre vagas para autistas em estacionamento

Maquiadora faz comentário homofóbico sobre vagas para autistas em estacionamento

A Comissão de Diversidade Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da subseção de Anápolis, a 55km de Goiânia, enviou uma notícia crime para a Polícia Civil pedindo o indiciamento da influencer Larissa Rosa por homofobia, após o vídeo que ela gravou zombando de vagas para autistas ser divulgado na internet (assista acima). Nas imagens, ela diz que a vaga é tão colorida que "achou que era vaga para viado".

A influencer e maquiadora Larissa Rosa pediu desculpas pelos comentários por meio de sua rede social. Ela publicou vídeos e uma nota de defesa (leia a íntegra abaixo).

  • Entidades e especialistas repudiam vídeos de influenciadora digital

O vídeo foi gravado no estacionamento de um shopping de Goiânia enquanto elas procuravam vaga para estacionar. A influencer viu a vaga reservada com o símbolo de fita quebra-cabeça colorida, usado mundialmente para identificar a prioridade dos autistas.

“Gente, olha isso aqui. Agora tem vaga exclusiva para autista. Cara, o mundo está muito difícil. Quero saber quando vai ter vaga para gordo estressado”, diz Larissa rindo da marcação das vagas.

  • Entenda por que autistas têm vagas exclusivas em estacionamentos

Ela continua o vídeo e emenda:

"Não tenho nenhum problema com autista. A vaga é tão colorida que achei que era para 'viado'. Vaga para mim nunca tem”, finaliza.

LEIA TAMBÉM

  • VÍDEO: Influenciadora digital zomba de vagas exclusivas para autistas em estacionamento de shopping
  • Empresária se indigna com pedido racista de cliente por aplicativo: 'Mandem entregador branco, não gosto de pretos nem pardos'
  • Estudante com autismo comemora ter passado em primeiro lugar para medicina em universidade federal em Goiás: ‘Estou realizado’

Influencer digital e maquiadora de Anápolis zomba de vagas exclusivas para autistas em shopping de Goiás — Foto: Montagem/g1

Influencer digital e maquiadora de Anápolis zomba de vagas exclusivas para autistas em shopping de Goiás — Foto: Montagem/g1

O delegado Joaquim Adorno disse que a representação da comissão vai ser juntada no mesmo inquérito que começou a investigar os vídeos pelo crime de discriminação de pessoa em razão de sua deficiência, previsto em lei federal.

O presidente da Comissão de Diversidade Sexual da OAB de Anápolis, Alex Firmino da Costa, explicou que a comunidade LGBTQIA+ foi ofendida quando a influencer disse que a vaga era tão colorida que pensou que era para "viado", usando um termo pejorativo como se fosse engraçado.

"Muitas pessoas me procuraram dizendo que se sentiram ofendidas. Após estudar o caso, vi que era possível enquadrar como racismo, que entra o crime de homofobia. Então tudo que é colorido é de homossexual?", questionou o advogado.

A comissão enviou uma proposta de retratação para a influenciadora pelas redes sociais dela, para não entrar com a ação, mas não recebeu resposta.

Depoimento

A influencer e a mãe dela prestaram depoimento à Polícia Civil. Tanto ela quanto a mãe, Vânia Rosa, alegaram que "jamais houve a intenção de ofender quem quer que seja". As duas são investigadas. Vânia estava com ela no carro quando o vídeo foi gravado.

Nota da influencer Larissa Rosa

Decidi vir, através dessa nota, pedir as mais sinceras desculpas pelos acontecimentos que estão repercutindo nas últimas horas. Me desesperei inicialmente com a repercussão da situação e com um bombardeio de mensagens revoltadas (com razão).

Agora, entendo que a forma que me senti com esse turbilhão ainda não chega perto do que muitas mães e outros grupos sentiram ao ouvir as palavras infelizes que pronunciei.

Refleti sobre toda a situação e quero me desculpar também por dizer se que tratou de uma brincadeira, feita exclusivamente em um grupo de melhores amigos com 18 pessoas. Isso também não justifica.

Minhas palavras não podem ser vistas como brincadeira e não deveriam ter sido ditas nem para mim mesma, imagine para um grupo de 18 pessoas. Acreditem, elas não me representam em nada.

Agradeço também às pessoas que, apesar de reprovarem a conduta e não terem nenhuma obrigação de me ensinarem nada, ainda tiraram um minuto do tempo delas para me enviar informações e materiais que me mostraram realidades diferentes das que eu já conheci.

Espero que essa infeliz situação um dia possa ser perdoada por quem se sentiu ofendido. Garanto também que, da minha parte, nunca mais vai se repetir.

Assim como anunciado ontem, permaneço à disposição no direct para me desculpar individualmente com quem estiver decepcionado e revoltado com minha atitude.

Veja outras notícias da região no g1 Goiás.

VÍDEOS: últimas notícias de Goiás

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*