Carregando...

Autoridades investigam morte em área de conflito indígena no sul do Chile

Um membro da etnia Mapuche morreu na quarta-feira (3) em um incidente com forças policiais e militares no sul do Chile.

O incidente ocorreu em uma estrada próxima ao município de Tirúa, que atualmente se encontra em estado de emergência decretado pelo governo em meio à crescente violência que atinge a chamada Macrozona Sul.

De acordo com autoridades chilenas, policiais e a Marinha foram emboscados e atacados duas vezes com armas de fogo durante o patrulhamento da área.

Os oficiais então começaram a implantar meios de dissuasão antes de usarem suas armas contra os agressores.

Em comunicado anterior, o Ministério Público Regional do Bio Bio disse que o corpo de um homem foi levado a um centro de saúde em Tirúa com um ferimento a bala.

Apesar de ter relatado a morte de duas pessoas, a secretaria informou em nota nesta quinta-feira (4) que a segunda pessoa não morreu, mas estava em estado grave e foi internada no Hospital Regional de Temuco. Três outras pessoas ficaram feridas.

A Promotoria também anunciou a prisão de três pessoas por porte de arma de fogo e agressão a policiais.

No início desta semana, o presidente chileno Sebastian Piñera anunciou que pedirá ao Congresso a extensão do estado de emergência, que afeta quatro províncias nas regiões de Bio Bio e La Araucania; epicentro do conflito com as comunidades Mapuche que há anos reclamam a devolução de suas terras ancestrais.

Os críticos desta medida apontam que a decisão apenas militariza um conflito mais profundo.

Nos últimos anos, a reação se multiplicou na região com a queima de casas, veículos e máquinas como parte do conflito em uma área com alto potencial turístico, eólico e florestal.

 


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*