Carregando...

Rússia: Putin testa vacina intranasal contra a Covid-19, sua 4ª vacinação

O presidente russo, Vladimir Putin, testou uma vacina nasal contra a Covid-19 que ainda não está em fase de testes clínicos, sua quarta vacinação no total, disse ele na quarta-feira (24).

Putin também recebeu um reforço do Sputnik Light de fabricação russa no domingo, seis meses após sua segunda dose da vacina Sputnik V.

Depois de receber a injeção de reforço, Putin se ofereceu para participar do teste da vacina intranasal em desenvolvimento pelo Gamaleya Center, fabricante do Sputnik V e da dose subsequente única do Sputnik Light, disse ele em uma reunião televisionada com membros do governo.

Putin disse que “não sente nada” após a vacinação intranasal. “Hoje, depois dessas dois procedimentos – a injeção e a forma nasal, – já fui praticar esportes esta manhã. Posso confessar que tudo está se desenvolvendo da maneira que nossos cientistas esperam”, disse ele aos ministros.

Em meados de outubro, o Ministério da Saúde russo aprovou ensaios clínicos de uma forma de spray nasal da vacina Sputnik V desenvolvida pelo Centro Gamaleya, de acordo com a RIA Novosti.

Gamaleya ainda está testando a eficácia da vacina nasal, segundo o vice-diretor da empresa, Denis Logunov. “Devo confessar que é uma administração off-label basicamente, como sempre, estamos testando em nossos funcionários”, disse Logunov a Putin em uma conversa pela televisão, após administrar o reforço no domingo.

Putin respondeu perguntando a Logunov se ele poderia “participar desse experimento”.

“Também sabemos que as vacinas administradas por método parenteral, ou injeção intramuscular, são eficazes, mas têm capacidade limitada de induzir imunidade da chamada infecção invasiva e doença sintomática. Precisamos administrar o agente através das membranas mucosas para induzir a imunidade de barreira”.

De acordo com Logunov, a vacina nasal “só precisa ser finalizada um pouco para entrar em testes clínicos e, depois disso, certamente planejamos iniciar o lançamento da nova vacina”. É “conveniente, indolor, com um mínimo absoluto de efeitos colaterais”, disse ele.

A Rússia ficou para trás em grande parte do mundo no que diz respeito à inoculação de sua população, apesar de ser o primeiro país do mundo a aprovar uma vacina contra o coronavírus, o Sputnik V, em agosto de 2020.

De acordo com os últimos números, disponibilizados em outubro, 47,8 milhões de russos receberam a primeira dose e 42,4 milhões foram totalmente vacinados. O país tem uma população de cerca de 146 milhões de pessoas.

A Rússia tem lutado para controlar o aumento das infecções por coronavírus nas últimas semanas. O país registrou 262.733 mortes de Covid-19, de acordo com os últimos números da Universidade Johns Hopkins.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*