Carregando...

Rússia inicia ofensiva nas regiões de Donetsk e Luhansk

A Rússia iniciou uma ofensiva na região de Donbass, nas áreas separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia. A cidade de Lviv, a oeste, que concentra refugiados, também foi atacada.

Para o analista de Internacional da CNN Lourival Sant’Anna, as deficiências de moral e de coordenação que os russos tiveram quando a guerra se espalhava por mais regiões vão ficar ainda mais evidentes agora que se concentra ao leste.

“Porque quando tem geografia muito concentrada, toda essa superioridade é em armamento pesado e a superioridade aérea, diminui de importância, porque você vai ter uma concentração das tropas e terá mais batalhas homem a homem e a moral está muito baixa”, explica.

/ Arte/CNN

Indo para a região de Kharkiv, que sofreu bombardeios pesados, e onde estão os suprimentos militares russos, na opinião de Lourival, as forças ucranianas não conseguiriam cortar as linhas de combate da Rússia. Ele explica que isso aconteceria “porque tem uma concentração agora muito grande de batalhões de grupos táticos. Onze se reagruparam só para garantir essas linhas de suprimento.”

Entretanto, em sua visão, o contra-ataque que os ucranianos fizeram na região foi muito interessante, “porque os russos estavam querendo atacar Izyum e tiveram que vir se defender desse contra-ataque.”

“Então, isso mostra o quanto os ucranianos são capazes de desfazer a tática dos russos no terreno. É por isso que eu digo que quando a gente começar a olhar a partir de hoje e a partir de amanhã o que vai acontecer ali no leste, vamos ter uma coisa muito mais equilibrada entre ucranianos e russos. Muito mais do que antes quando a soberania aérea e do grande armamento pesado falava mais alto num espaço geográfico muito maior.”

/ Arte/CNN

No contexto, Lourival indica que pode se chegar a um equilíbrio de forças, pela falta de comando russo e pelas tropas ucranianas serem devastadas e enfraquecidas. Mas isso seria “muito diferente da Rússia atingir seu objetivo tático nessa região que é dominar todo o Donbass.”

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), no momento, está apostando todas as fichas que poderia vencer os russos. Para isso, está enviando armamentos para os ucranianos, o que está sendo decisivo, explicando o conceito de “guerra por procuração”.

O ataque em Lviv, próximo à fronteira da Polônia, exemplifica a questão. Os russos estão tentando cortar as linhas de suprimento que estão sendo mandados, o que pode ser mais complicado à distância, mas não impossível.

 

 

 

 

 

 


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*