Carregando...

Crise de abastecimento de gás da Europa cresce após a Rússia impor sanções

A pressão sobre a Europa para garantir suprimentos alternativos de gás aumentou nesta quinta-feira (12), quando Moscou impôs sanções a subsidiárias europeias da estatal Gazprom um dia depois que a Ucrânia interrompeu uma importante rota de trânsito de gás.

Os preços do gás subiram, com a principal referência europeia ganhando 12%, já que os compradores estavam inquietos com as crescentes ameaças ao fornecimento da Europa, devido à sua alta dependência da Rússia.

Moscou já cortou o fornecimento para a Bulgária e a Polônia e os países estão correndo para preencher as reservas de gás, cada vez menores, antes do inverno.

A Rússia impôs sanções na quarta-feira (11) principalmente às subsidiárias europeias GAZP.MM da Gazprom, incluindo a Gazprom Germania, uma empresa de comércio, armazenamento e transmissão de energia que a Alemanha colocou sob tutela no mês passado para garantir o fornecimento.

Também impôs sanções ao proprietário da parte polonesa do gasoduto Yamal-Europa que transporta gás russo para a Europa.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que não pode haver relações com as empresas afetadas nem participar do fornecimento de gás russo.

As entidades afetadas, listadas em um site do governo russo, são em grande parte baseadas em países que impuseram sanções à Rússia em resposta à invasão da Ucrânia, a maioria deles membros da União Europeia.

A Alemanha, principal cliente da Rússia na Europa, disse que algumas subsidiárias da Gazprom Germania não estavam recebendo gás por causa das sanções.

“A Gazprom e suas subsidiárias são afetadas”, disse o ministro da Economia alemão, Robert Habeck, à Câmara Baixa do Bundestag. “Isso significa que algumas das subsidiárias não estão recebendo mais gás da Rússia. Mas o mercado está oferecendo alternativas.”

A lista também inclui a maior instalação de armazenamento de gás da Alemanha em Rehden, na Baixa Saxônia, com 4 bilhões de metros cúbicos de capacidade e operada pela Astora, bem como a Wingas, uma trader que abastece a indústria e serviços públicos locais.

A Wingas disse que continuaria operando, mas estaria exposta à escassez. Os rivais Uniper UN01.DE, VNG EBKG.DE ou RWE RWEG.DE podem ser potenciais fontes de abastecimento do mercado. Os fluxos de gás russo para a Alemanha continuam através do gasoduto Nord Stream 1 sob o Mar Báltico.

Se as empresas sancionadas não puderem operar, outras empresas, como concessionárias de gás, poderão assumir os contratos, o que provavelmente envolveria o acordo de novos termos com a Gazprom, inclusive para pagamento, disse Henning Gloystein, diretor do Eurasia Group.

“Isso pode ser o que a Gazprom pretende aqui, além de enviar um sinal de retaliação (para sanções da UE)”, acrescentou.

Trânsito

A Gazprom disse que não poderá mais exportar gás através da Polônia através do gasoduto Yamal-Europe após sanções contra a EuroPol Gaz, proprietária da seção polonesa.

O gasoduto liga os campos de gás russos na Península de Yamal e na Sibéria Ocidental com a Polónia e a Alemanha, através da Bielorrússia, e tem uma capacidade de 33 mil milhões de metros cúbicos (bcm), cerca de um sexto das exportações de gás russo para a Europa.

No entanto, o gás está fluindo para o leste através do gasoduto da Alemanha para a Polônia há algumas semanas, permitindo que a Polônia –que foi cortada do fornecimento russo junto com a Bulgária no mês passado por se recusar a cumprir um novo mecanismo de pagamento– acumule estoques.

Os fluxos de saída para a Polônia no ponto de medição de Mallnow, na fronteira alemã, atingiram 9.734.151 quilowatts-hora por hora (kWh/h) na quinta-feira, abaixo dos cerca de 10.400.000 kWh/h do dia anterior, mostraram dados do operador do gasoduto Gascade.

Habeck, da Alemanha, disse que as medidas da Rússia parecem destinadas a elevar os preços, mas a queda esperada de 3% nas entregas de gás russo pode ser compensada no mercado, embora a um custo mais alto.

Os preços do gás holandês no hub TTF, a referência europeia, subiram até 20% antes de fechar 12% mais alto. A referência disparou no ano passado, aumentando o fardo para famílias e empresas.

Embora o armazenamento de gás alemão esteja cerca de 40% cheio, ainda é baixo para a época do ano e os estoques precisam ser construídos em preparação para o inverno.

Inverno

As sanções de Moscou vieram apenas um dia depois que a Ucrânia interrompeu uma rota de trânsito de gás, culpando a interferência das forças de ocupação russas, a primeira vez que as exportações via Ucrânia foram interrompidas desde a invasão.

O ponto de trânsito de gás de Sokhranovka não será reaberto até que Kiev obtenha controle total sobre seu sistema de gasodutos, disse o chefe da operadora GTSOU, acrescentando que os fluxos podem ser redirecionados para o ponto de trânsito alternativo de Sudzha, embora a Gazprom tenha dito que isso não é tecnologicamente possível.

A operadora do sistema de trânsito de gás da Ucrânia disse que a Gazprom reservou capacidade de 65,67 milhões de metros cúbicos através do ponto de entrada de Sudzha para sexta-feira (13), contra 53,45 mcm para quinta-feira.

Embora a Comissão Europeia tenha dito que a suspensão ucraniana não apresenta um problema imediato de fornecimento de gás, há preocupações no mercado sobre o inverno, quando a demanda por aquecimento aumentará e as restrições de oferta global afetarão.

“Atualmente, os níveis de armazenamento são suficientes para durar a maior parte de 2022, mesmo que os fluxos russos parassem instantaneamente, salvo quaisquer eventos climáticos inesperados –mas as perspectivas para a oferta do inverno de 2022 são agora muito mais pessimistas”, disse Kaushal Ramesh, analista sênior da consultoria Rystad Energy.

Políticos finlandeses foram avisados ​​de que a Rússia poderia interromper o fornecimento de gás a seu vizinho na sexta-feira, informou o jornal Iltalehti, citando fontes não identificadas. O gás representa cerca de 5% do consumo de energia da Finlândia.

Também há confusão entre as empresas de gás da UE sobre um esquema de pagamento decretado por Moscou em março, que a Comissão Europeia disse que violaria as sanções da UE.

A maior produtora de energia da Alemanha, RWE RWEG.DE, espera que Berlim esclareça em breve se os pagamentos pelo gás russo podem ser feitos sob o esquema proposto por Moscou, disse seu chefe de finanças na quinta-feira, com o prazo se aproximando no final do mês.

A demanda da Rússia por pagamento em rublos foi rejeitada pela maioria dos compradores de gás europeus devido aos detalhes do processo, que exige a abertura de contas no Gazprombank, alimentando temores sobre possíveis interrupções no fornecimento e suas consequências de longo alcance para a Europa e particularmente a Alemanha, que depende fortemente de gás russo.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*