Carregando...

CPI apresenta indícios de que empresa contratada pelo governo pagou contas de ex-diretor do Ministério da Saúde

CPI apresenta indícios de que empresa contratada pelo governo pagou contas de ex-diretor da Saúde

CPI apresenta indícios de que empresa contratada pelo governo pagou contas de ex-diretor da Saúde

A CPI da Covid está investigando se a VTCLog, que tem contrato com o governo, pagou boletos do ex-diretor do Ministério da Saúde Roberto Dias. O motoboy da empresa Ivanildo Gonçalves tinha sido convocado para depor nesta terça-feira (31) na comissão, mas conseguiu um habeas corpus.

O presidente da comissão, senador Omar Aziz, do PSD, abriu a sessão dizendo que vai recorrer da decisão do ministro Nunes Marques, do STF, que permitiu ao motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva não ir à CPI.

“Ele foi convocado como testemunha, não como investigado. Vamos deixar claro que ele é uma testemunha. Ele não está sendo acusado de absolutamente nada”, disse Aziz.

O motoboy fez saques em dinheiro que somaram mais de R$ 4,7 milhões em nome da VTCLog, empresa contratada para fazer armazenagem e o transporte de medicamentos, inclusive vacinas, para o Ministério da Saúde.

A VTCLog é investigada pela CPI por suspeitas de irregularidades no contrato com o Ministério da Saúde, assinado em 2018, quando o ministério era comandado pelo atual líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, do Progressistas.

O contrato inicial previa pagamentos de mais de R$ 485 milhões até 2023, mas foi reajustado em 20% este ano, e ainda ganhou um novo aditivo, assinado pelo ex-diretor de logística do ministério, Roberto Dias, que é 18 vezes o valor defendido pela área técnica do próprio ministério. Dias também investigado pela CPI e é citado em outro caso suspeito de irregularidade, o da Davati, quando teria pedido propina de US$ 1 por dose de vacina negociada com o ministério. Ele nega.

O relator, senador Renan Calheiros, do MDB, disse que teve acesso a documentos que mostram que o motoboy da VTCLog pagou dívidas de Roberto Dias em nome da empresa. A maioria dos pagamentos aconteceu enquanto Dias ainda estava no ministério. Os comprovantes foram obtidos a partir da quebra dos sigilos da empresa e do ex-diretor do Ministério da Saúde.

Segundo a CPI, a Voetur, agência de turismo dos mesmos donos da VTCLog, emitia boletos em nome de Roberto Dias, como cobrança por serviços que podem ter sido prestados ou não. Esses boletos eram pagos em dinheiro vivo pelo motoboy da VTCLog Ivanildo Gonçalves com recursos da própria empresa, de acordo com os documentos apresentados pela CPI.

O Jornal Nacional teve acesso ao registro de pagamento desses boletos. De maio a julho deste ano, eles somam R$ 47 mil. O último boleto, de R$ 7 mil, em nome de Roberto Dias, foi pago no dia 6 de julho, véspera do depoimento dele à CPI.

Renan Calheiros apresentou imagens do circuito interno do banco que mostram a chegada do motoboy à agência bancária e de momentos em que ele paga boletos. As imagens são de dias diferentes.

Senadores governistas questionaram as imagens apresentadas.

Fernando Bezerra: E como é que vem a comprovação de que é ele quem paga o boleto?

Renan: É esse aí o pagamento do boleto, porque a pergunta da CPI foi sobre o exato momento, a fotografia do exato momento em que o boleto estava sendo pago. E se coincidia com a presença do Ivanildo na agência.

Randolfe: Senhor relator, só respondendo ao senador Fernando Bezerra...

Renan: Eis a comprovação.

Randolfe: Se Vossa Excelência me permite, a data, o horário e o momento na agência combinando com a imagem.

Renan: Exatamente.

Randolfe: Veja, a data, perceba mais acima a data, o valor que foi transferido e coincidindo com o momento em que o senhor Ivanildo chega, entra na agência bancária.

Renan: 24/06/2021.

Randolfe: É a mesma agencia bancária. Só confirmando: as imagens são da mesma agência bancária que ocorreu. As imagens, a data, o horário são da mesma agência bancária em que ocorreu o pagamento em favor do senhor Roberto Ferreira Dias. Bom, se isso não for prova suficiente para que sua Excelência o ministro Kassio Marques reconsidere a sua decisão, nada mais o será. Se isso não for importante para nós ouvirmos esse motoboy aqui nessa CPI, nada mais é.

Nesta terça, a CPI também tentou ouvir a diretora-presidente da VTCLog, Andreia Lima, mas ela alegou que estava com viagem a trabalho marcada e não poderia comparecer.

Durante as investigações, a CPI encontrou 134 ligações telefônicas entre Andreia Lima e Roberto Dias, de abril do ano passado a maio deste ano.

A investigação da VTCLog passou a ser uma das prioridades da CPI, que vai insistir para ouvir, daqui a no máximo duas semanas, Andreia Lima e o motoboy Ivanildo Gonçalves da Silva.

Os senadores ainda decidiram convocar a advogada do presidente Jair Bolsonaro, Karina Kufa. A suspeita da cúpula da comissão é de que ela tenha intermediado o contato de lobistas com o Ministério da Saúde para a venda de vacinas contra Covid.

A VTCLog declarou que jamais houve qualquer pagamento da empresa ou de subsidiárias do grupo na conta de Roberto Dias. Segundo a VTCLog, as imagens exibidas foram editadas e não mostram que Dias é usuário dos serviços da Voetur, empresa do grupo, e que o ex-diretor do Ministério da Saúde efetuou pagamentos e não recebeu. A VTCLog lamentou o que chamou de distorção e precipitação no tratamento de dados tão sensíveis.

O Jornal Nacional tentou contato com Ivanildo Gonçalves e com Roberto Dias, mas não teve retorno.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*