Carregando...

Detento recria igreja tradicional com mais de 8 mil palitos de picolé e vende por R$ 1,2 mil em feira de artesanato

Detento recria igreja tradicional com mais de 8 mil palitos de picolé.

Detento recria igreja tradicional com mais de 8 mil palitos de picolé.

Artesanatos produzidos por detentos de Aquidauana (MS) e Campo Grande (MS) integram a 14ª Feira do Artesão Livre “Especial de Natal”, promovida pela Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e Ministério Público Estadual. Entre as obras, o grande destaque é para a réplica da Igreja Matriz Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Aquidauana, construída com 8,2 mil palitos de picolé.

Leia mais:

  • Galeria de peças produzidas pelos detentos.

A peça foi criada pelo detento Edmar Moreira Silva, interno do Estabelecimento Penal de Aquidauana. A obra conta detalhes da igreja, com direito a bancos no interior, escadaria e altar. O valor da peça é R$ 1,2 mil.

Réplica feita com palitos de picolé e igreja original em Aquidauana. — Foto: Reprodução/RedesSociais

Réplica feita com palitos de picolé e igreja original em Aquidauana. — Foto: Reprodução/RedesSociais

Além da réplica da igreja de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, cerca de 500 outras peças estão disponíveis para compra, como tapetes, esculturas, quadros, bandejas, pinturas em tela, brinquedos e móveis rústicos, produzidos por 100 detentos de Aquidauana e Campo Grande.

Este ano a feira é virtual e os interessados podem conferir os produtos em um catálogo, disponível por um grupo de mensagens. As peças variam de R$ 20 a R$ 1,2 mil. Os valores arrecadados com a venda dos artesanatos serão revertidos aos detentos que produziram os artesanatos e ao sustento de suas famílias.

Os interessados em adquirir as peças têm até às 18h desta quinta-feira (25) para realizar as compras. Elaine Alencar Cecci, chefe da divisão de trabalho prisional de MS, explica que os produtos podem ser comprados por qualquer pessoa do país, mas a entrega gratuita é somente para o perímetro de Campo Grande.

“A pessoa manifesta o interesse no grupo e a gente faz o procedimento para emissão de boleto e pagamento. Após comprovado o pagamento, nós temos um entregador, que também é egresso do sistema prisional, e ele leva a mercadoria na casa da pessoa, embaladinha, bonitinha, sem custo nenhum”, detalha Cecci.

Para ingressar no grupo com o catálogo da 14ª Feira do Artesão Livre “Especial de Natal”, clique aqui.

Veja vídeos de Mato Grosso do Sul:

200 vídeos


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*