Carregando...

Menina de 5 anos quebra a perna ao descer pelo escorregador do avião que teve pane em MT

Menina de 5 anos fratura a perna durante evacuação da aeronave Airbus 320, que teve uma pane na madrugada desta quinta-feira (25). — Foto: Arquivo pessoal

Menina de 5 anos fratura a perna durante evacuação da aeronave Airbus 320, que teve uma pane na madrugada desta quinta-feira (25). — Foto: Arquivo pessoal

Uma menina de cinco anos sofreu uma fratura na perna ao descer pelo escorregador inflável de emergência durante a evacuação do avião da Azul, durante a madrugada desta quinta-feira (25), no aeroporto de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

O Airbus 320 teve uma pane enquanto manobrava na pista e não levantou voo.

A fisioterapeuta e mãe da menina que se machucou, Juliana Amorim Fávero, 36 anos, contou ao g1 que não houve nenhum comunicado oficial. “Nada foi falado pelos microfones. Só lembro de ver a aeromoça gritando lá na frente para todos saírem”, disse.

LEIA TAMBÉM

  • Influencer relata momentos de pânico em avião com pane 'nunca vi nada parecido'
  • Vídeo mostra desespero de passageiros ao saírem de avião após pane
  • Passageiros deixam avião às pressas após pane e descem usando escorregador de emergência em MT
  • Família que estava em aeronave que deu pane em MT viajava de avião pela primeira vez

Juliana estava acompanhada do marido Giovani Dalla Corte, 38 anos, junto com os filhos, um de três e a menina de cinco anos.

Sentados na 18ª fileira e ao lado do motor esquerdo da aeronave, Juliana disse que não deu tempo de pensar em nada e apenas ouviu o burburinho dos passageiros aumentando. “Ouvi pessoas dizendo ‘vai explodir!’. Tentei não prestar atenção nisso e manter a calma para sair mais rápido do avião”, conta.

Na descida, ela disse que sentiu a perna da filha presa atrás dela, agarradas em um abraço bem apertado. Juliana acredita que possa ter sido nesse momento que a filha fraturou a tíbia enquanto escorregava.

Ela relata que os passageiros se distanciavam da aeronave e eram empurrados pela força do vento expelida pelo motor esquerdo. “Tinha muita gente caindo por causa disso”, diz.

Sem nenhum auxílio, a família de Juliana aguardou junto com os outros passageiros em um terreno ao lado da pista, no escuro. Depois de esperar por um tempo, o Serviço Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e os bombeiros verificaram se todos estavam bem. “Ao toque, disseram que era uma contusão”, explica Juliana sobre quando sua filha foi atendida.

Depois da triagem, os passageiros caminharam da pista até o portão de desembarque, onde foram orientados a fazer o checking. Enquanto aguardava o marido, Juliana viu a filha indo ao banheiro e caiu. A menina vinha reclamando de dor nas pernas. Foi nessa hora que ela percebeu o ferimento e levou a filha ao Hospital Ortopédico.

O acidente

Passageiros ficaram feridos após uma pane em um avião da Azul Linhas Aéreas que sairia do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, com destino a Guarulhos, em São Paulo, na madrugada desta quinta-feira (25).

O Airbus 320 não chegou a decolar, mas se movimentava no solo quando parou de repente. O escorregador inflável de emergência precisou ser acionado para que os passageiros pudesse descer. Algumas pessoas se feriram na hora quando saíram do equipamento

Azul informou prestar apoio a passageiros

A Azul Linhas Aéreas confirmou por meio de nota que a aeronave que realizaria o voo Cuiabá-Guarulhos teve sua decolagem abortada após a identificação de uma pane na aeronave, tendo o comandante do voo realizado o procedimento padrão previsto para esse tipo de situação.

"Os clientes evacuaram a aeronave por meio das saídas de emergência do avião. A Azul destaca que está prestando todo o apoio necessário aos clientes, lamenta o ocorrido e reforça que ações como essa são necessárias para garantir a segurança de suas operações", diz a nota.

Segundo a Centro-Oeste Airports (COA), apenas três voos foram atrasados em razão da pane da aeronave, entre às 2h e 4h da madrugada desta quinta-feira (25). “A situação já foi normalizada e as operações do terminal seguem regularmente”, diz.


Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados*